Pular para o conteúdo

GALO, moderno, contratou o treinador “El Turco” sem sair de BH .

 

O Atlético Mineiro teve dificuldades para contratar um treinador.

Aliás, não foi só o Galo que enfrentou obstáculos, né?

Mas, os mineiros evitaram desgastes, desconfortos e não fizeram lambanças.

Com apenas duas reuniões VIRTUAIS acertaram a vinda do argentino Antonio Mohamed.

Até a assinatura do contrato foi à distância.

O sistema não é novo: Zoom, Microsoft Teams, Skype, Whatsapp e outros…são utilizados para reuniões, conferências, palestras e assinaturas de contratos bilionários.

Tudo é mais fácil e inúmeros empecilhos são superados.

É só ter uma boa internet e o pessoal do Atlético Mineiro deve ter uma muito boa.

Bom computador, sem dúvida, não falta para os empresários que comandam o Galo.

Fizeram chamadas de vídeo e voz como se estivessem com “El Turco” à frente.

O professor “El Turco” ainda nem desembarcou em Belo Horizonte.

Pesquisas, faz tempo, mostram que uma enorme maioria faz chamadas de vídeo para tratar de negócios e esse pessoal afirma que a prática agrega valor às reuniões.

Claro, olho-no-olho tem a linguagem corporal. É importante, sem dúvida.

Para uma organização que tem cuidado com as despesas, a “online” reduz custos e pode ser feita a qualquer hora.

Não é preciso estar no escritório ou num luxuoso hotel.

Táxis são dispensáveis…aeroportos, aviões, distâncias enormes…deixam de ser incômodo.

Falamos todos os dias que a internet diminui distância, né?

Uma diretoria inteira pode se reunir com um futuro treinador ao mesmo tempo…

Imagino, o Galo se reuniu com alguns treinadores num mesmo dia, sem precisar ir até eles.

As ideias e projetos – de ambas as partes – podem ser mostrados facilmente.

Duas reuniões apenas mostraram que os encontros foram objetivos.

Nada de turismo…

Olhando para a câmera, prestando atenção…

Devem ter conversado com calma, falando devagar, aumentando o poder de convencimento.

Negócio fechado.

Se o treinador argentino terá sucesso, o tempo vai dizer.

O Atlético Mineiro foi moderno, agiu num outro patamar.

 

*(Agradeço ao excelente repórter Thiago Reis/Belo Horizonte, esclarecendo minhas dúvidas)

Comentários

comments