Pular para o conteúdo

FÁBIO e a decisão da empresa.

Fábio não é mais jogador do Cruzeiro.

O clube virou empresa e tem realizado um ajustamento administrativo/financeiro.

No caso do goleiro, é o jogador que mais atuou pelo Cruzeiro, com mais de 900 jogos disputados, com mais partidas jogadas e sem sofrer gols na história do Campeonato Brasileiro e o terceiro atleta brasileiro com mais partidas disputadas pela Libertadores da América. Não é pouca coisa…

Ele e o Cruzeiro construíram uma rica e bonita caminhada.

O clube fez uma homenagem protocolar num vídeo divulgado em suas redes oficiais.

Fábio fez uma postagem relatando passo a passo o episódio e mostrando tristeza e decepção com o final da história.

Eu sabia que os dois lados estavam tentando um novo contrato.

Pensei que os novos administradores, no caso do Fábio, contariam com ele como goleiro até o final deste ano e ao mesmo tempo, deixariam claro que com a sua experiência, ele assumiria uma espécie de “tutoria”, assumindo os recém-contratados como afilhados.

Afinal, a carreira de Fábio no Cruzeiro, pode ser considerada inspiradora.

Grandes empresas adotam esse sistema e os resultados são excelentes.

Mas, o caminho adotado não foi esse…

Jean-Paul Sartre foi um francês sabido. Morreu em 1980 com 74 anos.

Ele escreveu um dia que “…o importante não é o que fizeram com você, mas o que você fez com aquilo que fizeram com você”.

Talvez, esse jogo de palavras, ajude Fábio nesse momento…

 

Comentários

comments