Pular para o conteúdo

“CLÁSSICO DAS AMÉRICAS”: LAMBANÇA DUROU 60 HORAS !

A seleção argentina desembarcou no Brasil dia 3 , às 8 h .
O avião levando os argentinos decolou dia 5, às 21 h.
A lambança durou 60 horas !
Quando o grupo argentino chegou, não era mais nenhum segredo a situação de quatro jogadores que trabalham em clubes ingleses.
Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero, se a fiscalização fosse eficiente, nem deveriam sair do aeroporto.
As autoridades deveriam providenciar a deportação no próximo avião para Buenos Aires.
A seleção argentina, escoltada por militares brasileiros, seguiu para a concentração.
Hotel “5 estrelas”, bem localizado e a relação dos apartamento ocupados pelos “hermanos” na portaria .
Nenhuma dificuldade para a Anvisa localizar os “ilegais”.
E se a agência sabia que eles “mentiram” nos formulários, horas depois do desembarque, a Policia Federal já deveria ter sido acionada.
Antes do primeiro almoço em São Paulo, já poderiam ter sido deportados.
Nada disso aconteceu.
Ainda na sexta feira, dia 3 . treinamento na secular “Fazendinha”.
Não foi um trabalho secreto.
Aliás, várias pessoas conseguirem fotos com os jogadores argentinos, com destaque para o astro Messi.
A ANVISA , bem informada, sabe onde fica a sede oficial do Corinthians.
Os “fraudadores” seriam facilmente encontrados.
Aliás, da Rua São Jorge até o Aeroporto de Guarulhos, são 15 quilômetros, facilmente percorridos em 15 minutos.
Providência NÃO tomada.
No sábado, treinamento no local do jogo.
De Itaquera até Guarulhos, 21 quilômetros, 20 minutos.
Os jogadores continuaram sem receber nenhuma notificação.
Na manhã do domingo, segundo a Anvisa, a Polícia Federal foi informada da irregularidade cometida pelo quarteto argentino.
As informações (…com muitos detalhes não esclarecidos) apontam que quando procurada a delegação já estava seguindo para o estádio. Sempre com escolta militar.
Todos sabem como as coisas funcionam …ônibus estaciona em área exclusiva e delegação caminha para o vestiário.
Estavam todos no recinto , lugar fácil de ser encontrado pela ANVISA e pela PF.
Uniformizados, os jogadores ficaram fazendo “aquecimento” sobre o campo de jogo.
Em seguida, todos voltaram ao vestiário.
Foi dito,inclusive, que os argentinos não abriram a porta(?).
Não abriram a porta para a Polícia Federal ?
Hora do jogo, delegação sai do lindo vestiário da Arena e segue para o campo de jogo.
Os “mentirosos” estavam no grupo, facilmente identificáveis.
Depois disso, o mundo sabe o que aconteceu.
Na hora de voltar pra casa, os quatro jogadores foram informados que seriam deportados.
Lei precisa ser cumprida, isso é óbvio.
Inaceitável, a meu ver, é parar um jogo da Copa do Mundo, para retirar jogadores de futebol que estavam irregularmente no país, desde o desembarque.
O que vai acontecer com o jogo? Problema para a FIFA resolver.
O Comitê Disciplinar costuma fundamentar suas decisões na súmula, feita pelo árbitro e pelo relatório do delegado da partida.
Se o jogo fosse entre San Marino x Anguilla , o assunto já estaria resolvido.
Mas, no episódio de Itaquera, estão envolvidos dois grandões…

Comentários

comments