Pular para o conteúdo

Maldivas: tudo que você precisa saber antes de ir

Maldivas: tudo que você precisa saber antes de ir

A viagem é longa, pede ao menos uma escala, mas o trajeto até as Maldivas é encantador. Principalmente o que é feito em um hidroavião, sobrevoando os impressionantes atóis e o oceano repleto de tons de azul.

As Maldivas encantam desde o minuto que você compra sua passagem. A ansiedade e expectativa para chegar no tão desejado destino dos sonhos deixa tudo ainda melhor.

E obviamente essa expectativa é superada. De fato, ninguém consegue imaginar o que realmente são as Maldivas antes de estar lá. Se existe paraíso na Terra, ele definitivamente tem nome e endereço fixo. Não é por acaso que o destino é o queridinho entre os casais de lua de mel – que foi o nosso caso.

Nem no meu melhor sonho poderia imaginar uma cena mais perfeita: bangalôs sobre águas transparentes, com vida marinha impressionante e areia branca.

A superfície da República das Maldivas tem 820 quilômetros de norte a sul e 120 quilômetros de leste a oeste. São cerca de 2 mil ilhas, das quais apenas 202 estão habitadas e 87 são dedicadas ao turismo, sendo um resort por ilha.

JÁ SEGUE O TRIP TO FOLLOW NO INSTAGRAM? @TRIPTOFOLLOW

As Maldivas são o país mais baixo do mundo, tendo apenas 1% de seu território acima do nível do mar e seu ponto mais elevado a apenas 240 cm acima da nível do mar. A capital Malé, por exemplo, está apenas 90 centímetros acima do nível do mar. Elas são formadas por 1200 ilhas agrupadas em 26 atóis, mas podem sumir em breve por conta do aquecimento global.

Segundo as revistas do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, da ONU, se o mar subir um metro até o final do século, o paraíso vai sumir do mapa. Enquanto disso, vamos cuidar e aproveitar o destino!

Leia também:

Apesar de todo o glamour que envolve esse destino, principalmente por causa dos preços, Maldivas é um destino “simples”. Simples no sentido de ser pé na areia, para quem quer se vestir de forma despretenciosa. O verdadeiro luxo das Maldivas está na experiência em si. Claro que você pode caprichar no look, afinal, não é todo dia que você está nas Maldivas. Mas lembre-se que o principal “meio de transporte” por lá é sua bicicleta.

Bicicleta do Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Bicicleta do Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Nós nos hospedamos no Anantara Dhigu e no Anantara Kihavah. Não tem absolutamente nada fora do lugar e você, de fato, não precisa se preocupar com nada. Chega a ser impressionante como tudo está à sua mão, como tudo é pensado para que você tenha momentos únicos e sem igual em qualquer outra parte do mundo.

Essa viagem fez parte da nossa lua de mel. Ela foi toda organizada pela Cays Turismo, pela Kangaroo Tours e pela Minor Hotels. Recomendamos muito! Não tivemos que nos preocupar com nada, além de curtir o destino.

|Localização e fuso nas Maldivas

A República das Maldivas fica localizada no Oceano Índico, ao sul da Índia, no continente asiático. Ao todo são 1196 ilhas e 26 atois. Para quem não sabe, atois são vulcões antigos submersos onde os corais crescem na base, vão quebrando com as correntes marítimas e formam ilhas com lagoas. Daí a formação paradisíaca das Maldicas.

A capital do país é Malé, onde fica o aeroporto internacional.

As Maldivas estão 8 horas a frente do horário do Brasil considerando o horário de Brasilia.

|Idioma nas Maldivas

Vista do SPA do Anantara Dhigu, nas Maldivas (Foto: Trip To Follow)

Vista do SPA do Anantara Dhigu, nas Maldivas (Foto: Trip To Follow)

O idioma oficial das Maldivas é o Maldivian, mas dentro dos hotéis todos falam inglês. Se você não fala inglês, não se preocupe. Os funcionários dos hotéis de luxo sempre dão um jeitinho de entender seus hóspedes.

|Moeda das Maldivas

Floating breakfast na piscina da nossa villa no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Floating breakfast na piscina da nossa villa no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

A moeda oficial das Maldivas é a Rupia Maldívia (MVR), mas provavelmente você não vai chegar a ver uma nota ou moeda (1MVR equivale a R$ 0,29).

Os preços nos hotéis estão todos em dólar e as despesas podem ser pagas em espécie ou cartão de crédito. Lembre-se de fazer o aviso viagem no seu banco e, se quiser levar dinheiro, garanta o dólar.

|Documentos

Brasileiros nãoo precisam de visto, nem pagar nenhuma taxa para visitar as Maldivas, mas o certificado de vacinação contra febre amarela é indispensável.

Assim que chegamos no aeroporto e passamos pela imigração, fomos diretamente levados para uma segunda fila onde funcionários revisam sua carteirinha, preenchem alguns documentos e te deixam entrar no país. O procedimento não é demorado, mas é obrigatório. Caso você não tenha esse documento, terá que ir embora.

Importante dizer que grávidas, mulheres com criança pequena ou idosos não têm fila preferencial.

|Como chegar nas Maldivas

Vista das Maldivas do hidroavião (Foto: Trip To Follow)

Vista das Maldivas do hidroavião (Foto: Trip To Follow)

Não existem voos diretos para as Maldivas, por isso é uma boa oportunidade de você combinar o destino com algum outro. Optamos por ir para Dubai e para o Sri Lanka.

Buscamos muito pelos os voos e de todas as formas: eles juntos, eles separados, metade junto, metade separado. Mas o que realmente falou mais a pena foi comprar voo por voo.

O primeiro voo foi São Paulo – Dubai / Dubai São Paulo (direto, cerca de 15h40 de voo). Isso significa que compramos a data de ida da viagem e a data final. De qualquer forma voltariamos por Dubai. Ficamos de olho em promoções e encontramos essa passagem por apenas R$ 3 mil por pessoa – esse valor é considerado muito bom.

A segunda passagem foi Dubai – Malé (Maldivas) por R$ 600 por pessoa voando de Emirates (cerca de 4h15 de voo). A terceira passagem foi Malé – Colombo voando de China Eastern Air – odiamos – (cerca de 1h50 de voo) – Colombo – Dubai voando de Srilankan Airlines (cerca de 4h de voo) por R$ 1500 por pessoa. A volta de Dubai para São Paulo estava junto da primeira passagem.

Lembrando que Malé é a capital das Maldivas, mas não é onde ficam os hotéis. Nós nos hospedamos em dois hotéis diferentes. O primeiro deles foi o Anantara Dhigu e, para chegar lá, pegamos um speed boat que demorou cerca de 35 minutos. Para mudarmos de hotel e irmos para o Anantara Kihavah, tivemos que pegar o speedboat de volta para Malé e, então, pegar o hidroavião, que demorou cerca de 35 minutos também. Para mim, uma vez nas Maldivas você tem que fazer um voo de hidroavião. De fato, é a forma mais linda de ver as Maldivas.

|Quando ir para as Maldivas

Vista da nossa villa no Anantara Kihavah pouco antes da chuva cair (Foto: Trip To Follow)

Vista da nossa villa no Anantara Kihavah pouco antes da chuva cair (Foto: Trip To Follow)

As Maldivas são um destino incrível para ir durante o ano todo, já que sempre faz calor. A temperatura máxima é estável, entre 30ºC e 31ºC, com ar úmido e brisa do mar constante, o que diminui um pouco a sensação térmica. Já a média mínima de temperatura varia entre 25ºC e 27ºC. A temperatura da água ao longo do ano fica entre 27ºC e 29ºC.

Mas claro que é possível levar em consideração a melhor época de acordo com o clima. Entre novembro e abril é considerado a melhor época poque teoricamente é quando menos chove. Nós fomos em novembro, mas pegamos alguns dias de chuva (isso não mudou nossa experiência, foi incrível mesmo assim).

Assim como outros países da Ásia, as Maldivas também sofrem com as chuvas de monções. O tempo tende a ficar chuvoso e com ventos mais fortes entre maio e outubro, com chuvas intensas e passageiras.

Os hotéis costumam ficar mais cheios durante o Natal e o Ano Novo, mas isso não é uma grande preocupação se você escolher uma hospedagem de luxo, já que as ilhas costumam ser muito grande em relação ao número de quartos. Você sempre terá sua privacidade e um cenário paradisíaco.

A quantidade de precipitação anual varia entre 1900 e 2500 milímetros na parte norte do arquipélogo e entre 3000 e 3800 milímetros na parte sul.

|Quanto tempo ficar nas Maldivas

Área do SPA no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Área do SPA no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Podemos dizer que daria para passar anos nas Maldivas. Afinal, quem não quer dormir e acordar no paraíso todos os dias, né?

Nós ficamos 6 noites, 3 em cada hotel, e foi ótimo. Não recomendo ficar menos tempo, principalmente porque a viagem é longa e provavelmente você vai gastar um bom dinheiro em todo o percurso até chegar lá.

Além disso, Maldivas serve tanto para relaxar e contemplar, quanto para aproveitar e ter um schedule mais elaborado.

Durante nossos dias por lá fizemos mergulho de cilindro, mergulhamos com tubarões (leia a matéria completa aqui), fizemos stand up paddle, experimentamos quase todos os restaurantes etc. Em algumas temporadas é possível nadar com tubarão-baleia, além da possibilidade de escolher várias outras atrações disponibilizadas pelo próprio hotel (cobradas a parte, claro).

Por isso, vá tranquilo e com o mínimo de tempo necessário para fazer um bom balanço do que as Maldivas têm a oferecer.

|Quanto custa ir para as Maldivas

SUP no Anantara Dhigu (Foto: Trip To Follow)

SUP no Anantara Dhigu (Foto: Trip To Follow)

É verdade. Maldivas é um destino caro, mas não tem como não ser. A logística para que tudo funcione com perfeição nos resorts – cada um em sua própria ilha ou atol – não é das mais simples.

É preciso levar comida da melhor qualidade no meio do oceano Índico. Assim como é preciso ter profissionais qualificados para suas funções. Não adianta ter comida boa sem um bom cozinheiro. Não adianta ter os melhores SPAs sem os melhores massagistas. E por aí vai.

Para começar, considere o valor dos voos. O segredo é colocar alerta para esses voos em todos os sites possíveis. Os resorts são caros, mas considere que sempre existe a possibilidade de uma promoção. Não vai ficar barato, mas já vai melhorar um pouco.

No Anantara Dhigu, por exemplo, é possível reservar para o casal uma Beach Villa por USD 510, Pool Villa por USD 708, Over Water Suite por USD 738 e Over Water Pool Suite por USD 1186.

Já no Anantara Kihavah, o valor da diária para o casal da Beach Pool Villa começa em USD 800 e a Over Water Pool Villa começa em USD 1100. A opção mais cara nesse resort é a residência de 4 dormitórios, na praia, por USD 11460.

Essas opções são com meia pensão e crianças até 12 anos não pagam.

Considere valores para refeições extras e para o transfer, seja de speed boat ou de hidroavião. Na maioria das vezes esse extra não está incluso no valor da diária.

|Onde se hospedar nas Maldivas

Área do SPA no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Área do SPA no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Como mencionei anteriormente, nos hospedamos primeiro no Anantara Dhigu e, em seguida, no Anantara Rihavah e recomendamos MUITO!

Mas, de qualquer forma, as Maldivas reúnem mais de 150 hotéis, sendo a maior parte deles de luxo.

Há ilhas privadas e ilhas públicas. Claro que você encontra hotéis mais baratos nas ilhas publicas, mas, se posso dar uma recomendação, a experiência muda completamente. Acredito que, uma vez nas Maldivas, vale a pena experimentar o melhor que ela pode oferecer e, sim, desfrutar de todo o luxo de uma das ilhas privadas.

Além disso, importante lembrar que este é um país muçulmano e que, nas ilhas públicas, existem algumas restrições no vestuário, consumo de álcool e carne de porco, que não são vivenciados dentro dos resorts nas ilhas privadas.

Anantara Dhigu

Praia no Anantara Dhigu, nas Maldivas (Foto: Trip To Follow)

Praia no Anantara Dhigu, nas Maldivas (Foto: Trip To Follow)

Temos um carinho especial pelo Anantara Dhigu, já que ele foi nosso primeiro hotel nas Maldivas. Se a primeira impressão é a que fica, não poderíamos ter feito escolha melhor.

O resort fica na ilha Dhigufinolhu, no sul do Male Atoll. Ele fica ao lado do Anantara Veli (adults only) e os hóspedes podem usar a estrutura dos dois hotéis. Ou seja, piscinas, restaurantes, SPA, etc. No Veli, inclusive, fica o melhor restaurante japonês que já comemos na vida.

Nós ficamos em uma vila na praia… Perfeita! Não tem como não se apaixonar pelo banheiro de lá (hehe). O hotel oferece várias atividades, inclusive o mergulho com tubarões, que fizemos e amamos muito!

Anantara Kihavah

Nossa villa no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Nossa villa no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

O Anantara Kihavah fica no deslumbrante Baa Atoll, em uma uma Reserva da Biosfera Mundial da UNESCO, cercada por arrecifes com tartarugas e formações de coral. Este é, até o momento, nosso hotel favorito no mundo.

As 79 vilas de luxo do Anantara Kihavah possuem piscina privada, mas, desta vez, ficamos em um bangalô sobre as águas (water villa). Não tem nada melhor do que dormir e acordar literalmente no mar, ter um chuveiro externo, banheiro e banheira com chão transparente e uma piscina perfeita com borda infinita.

Isso sem contar o atendimento impecável, os vários saborosos restaurantes – incluindo o underwater – o SPA e todas as outras atividades que o hotel oferece.

O Kihavah Villas implementa seu compromisso com a proteção do meio ambiente e preservação da cultura local através da educação, inovação e capacitação, aderindo às normas e requisitos do Green Globe.

Escolha perfeita!

|Alimentação nas Maldivas

Surf and Turf em um restaurante no Anantara Dhigu (Foto: Trip To Follow)

Surf and Turf em um restaurante no Anantara Dhigu (Foto: Trip To Follow)

O Gabriel disse que a melhor carne que ele comeu na vida, foi nas Maldivas. O mesmo dizemos sobre o restaurante jamonês, que comentei anteriormente.

Os hotéis têm muitas opções de restaurantes, porém os pratos não são baratos. Nós fomos com pensão completa (café da manhã, almoço e jantar, além de snacks durante o dia), mas a maioria das pessoas opta por meia pensão (café da manhã e jantar).

Acho viável ir com meia pensão, já que as refeições sempre são muito bem servidas e o café da manhã tem um buffet com muitas opções, Então dá para comer algo mais leve durante o dia e segurar até o jantar (lembrando que essa foi nossa experiência no Anantara Dhigu e no Anantara Kihavah).

Mas, no geral, os pratos são caros. Então lembre-se de escolher ao menos meia pensão antes de fechar seu pacote. Geralmente o hóspede pode escolher o restaurante que quer almoçar ou jantar, mas vale lembrar que nem todos os restaurantes estão inclusos. O SEA, no Anantara Kihavah, por exemplo, tem um custo extra. O mesmo para algumas experiências como, por exemplo, o floating breakfast (o café da manhã flutuante que você pode tomar na piscina da sua villa).

|O que fazer nas Maldivas

Mergulho com tubarões no Anantara Dighu (Foto: Trip To Follow)

Você pode simplesmente não fazer nada. Relaxar, curtir a praia, o mar, seu bagalô… Essa é uma das graças das Maldivas. Mas claro que há dezenas de opções de atividades caso você queira ocupar seu dia com coisas diferentes.

Nós, por exemplo, fizemos um mergulho com tubarões durante nossa estadia no Anantara Dhigu e um mergulho de cilindro durante nossa estadia no Anantara Kihavah. Também passeamos de caiaque, de stand up paddle, fizemos massagem, etc.

Opções não faltam. São várias opções de atividades e passeios que você pode reservar antes ou assim que fizer seu check-in.

Alguns hotéis têm quadras de tênis, academia, peca, outras opções de esportes aquáticos (canoagem, parasailing, surf, wakeboard, windsurf, jetski, etc), aulas de ioga e meditação, aulas de culinária, passeios de barco para avistamento de animais (baleias, golfinhos, mantas, etc), passeios para outras ilhas, degustação de vinho etc.

|O que levar para as Maldivas

Anantara Dhigu, nas Maldivas (Foto: Trip To Follow)

Anantara Dhigu, nas Maldivas (Foto: Trip To Follow)

De novo digo que as Maldivas é um destino “simples”. Você provavelmente vai passar o dia todo de biquíni e saída de praia, chinelo ou rasteirinha. Nem adianta levar salto, já que todas as “ruas” dos hotéis são de areia e você provavelmente vai se locomover a pé ou de bicicleta.

Para os jantares, optei por vestidos leves, mas mais arrumadinhos, e rasteirinhas. A dica é caprichar nos acessórios.

Claro que alguns itens básicos não podem faltar: protetor solar, repelente (nos dois hotéis tínhamos repelente à dispposição), óculos de sol, chapéu, snorkel e nadadeiras (você também pode pegar emprestado no hotel, não precisa se preocupar – é grátis!), câmera fotográfica e GoPro – as Maldivas é um destino de água!

Lembre-se de checar quantas malas você tem direito de levar no voo até Malé, além de quantas malas você tem direito de levar no seu voo de hidroavião até o hotel. No nosso caso, viajamos cada um com uma mala de 23 kg + uma mala de mão.

|Pode usar drone nas Maldivas?

Imagem de drone no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Imagem de drone no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Uma das nossas maiores questões nas Maldivas era o uso de drone. Sim, você pode entrar com drone nas Maldivas sem precisar de nenhum documento como acontece em Dubai. Explicamos melhor nesse post.

Apesar disso, muitos hotéis proibem o uso e dizem que é pela privacidade dos outros hóspedes. Eu discordo, já que na maioria das vezes usamos o drone para fazer imagens aéreas bem altas, onde ninguém aparece.

De qualquer forma, no Anantara Dhigu nos permitiram o uso, desde que com autorização prévia. Usamos apenas no período que nos permitiram. Já no Anantara Kihavah não tivemos esse problema e nos permitiram usar a qualquer momento. De qualquer forma, é válido perguntar sobre isso no check-in.

|Seguro Viagem e chip de celular

Alguns países exigem um Seguro Internacional, mas recomendamos que você tenha um mesmo para os destinos onde não existe a obrigatorieade.

Um seguro viagem pode sair mais barato do que você imagina. Nós recomendamos e sempre fechamos com a SegurosPromo. Clique aqui e faça uma cotação (use o código TRIPTOFOLLOW5 para 5% de desconto).

Os dois hotéis que ficamos tinham wi-fi em todo o hotel, então não precisamos nos preocupar. De qualquer forma, precisaríamos ter internet durante os outros destinos e nos percursos, inclusive o que nos levava até as Maldivas.

Ter um chip de celular durante uma viagem internacional é uma mão na roda. Dá para sair do avião já conectado! Nós recomendamos e sempre usamos o chip da SimPremium (use o código para 10% de desconto).

Nossa villa no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Nossa villa no Anantara Kihavah (Foto: Trip To Follow)

Assista aos nossos stories no Instagram @triptofollow nas Maldivas aqui e aqui.

Quer organizar sua viagem para Dubai? Entre em contato com a Cays Turismo e apresente o código #TTF! Eles organizaram toda nossa viagem e foi incrível!

O post Maldivas: tudo que você precisa saber antes de ir apareceu primeiro em Trip to Follow.