Pular para o conteúdo

Como é o passeio de trem para Morretes, no Paraná

Como é o passeio de trem para Morretes, no Paraná

Curitiba, no Paraná, é uma cidade que tem muito a oferecer para os visitantes: muitos pontos turísticos, restaurantes, parques… Mas é de lá também que sai um dos passeios de trem mais famosos do Brasil e, de acordo com o The Wall Street Journal, um dos 3 melhores trens do mundo.

JÁ SEGUE O TRIP TO FOLLOW NO INSTAGRAM? @TRIPTOFOLLOW

O trajeto que liga a capital paranaense até a cidade histórica de Morretes tem 70 km, corta a Serra do Mar e passa por visuais de tirar o fôlego.

Nós aproveitamos nossa rápida passagem pela cidade e fizemos o passeio. O clima não estava bom. Muita neblina, chuva indo e vindo, mas mesmo assim valeu a pena. Claro que “perdemos” alguns visuais, mas ficou um bom motivo para voltarmos em breve com o dia mais firme.

Há várias opções de vagões (especificadas abaixo), mas vale destacar que a Litorina é o primeiro trem de luxo do Brasil e o único do mundo com sistema automotriz.

São três opções de carros, todos com ar-condicionado: a Foz do Iguaçu segue o estilo neoclássico e é inspirada na fauna e na flora da Mata Atlântica; a Copacabana, também neoclássica, resgata elementos que remetem ao calçadão da Cidade Maravilhosa; a Curitiba conta uma decoração mais moderna, com símbolos que fazem referência à capital paranaense.

Trem de Curitiba para Morretes (Foto: Divulgação)

Trem de Curitiba para Morretes (Foto: Divulgação)

|História

A primeira viagem pela Ferrovia Paranaguá-Curitiba, que tem ao todo 110 km, foi inaugurada pela Princesa Isabel e por D. Pedro II em 1884. Inicialmente, o projeto tinha intenção de ligar o litoral Paranaense ao Paraguai, mas não deu certo.

A ferrovia foi projetada e executada pelos irmãos André Rebouças, Antônio Pereira Rebouças Filho e José Rebouças, primeiros negros com formação universitária.

Quando a obra começou, foi considerada como ousada já que era muito moderna (lembre-se que a tecnologia era muito mais precária na época) e também foi uma das primeiras a ser feita sem a mão de obra escrava.

Leia também

Trem de Curitiba para Morretes (Foto: Divulgação)

Trem de Curitiba para Morretes (Foto: Divulgação)

|O trajeto

Por volta das 8h da manhã a estação está lotada. Todos: idosos, famílias, casais, grupos de amigos, aguardam o embarque com o bilhete na mão prontos para dividirem o trem durante as próximas horas. O passeio passa por vários pontos sinalizados em um mapa entregue aos visitantes assim que embarcam nos vagões.

Mapa no trem para Morretes (Foto: Trip To Follow)

Mapa no trem para Morretes (Foto: Trip To Follow)

A estação de Morretes fica no número 30 do mapa e no percurso passamos por várias pequenas cidades que cercam Curitiba, por mais de 40 pontes, centenas de pontilhões, 13 túneis e viadutos, com destaque para a Ponte São João e o Viaduto do Carvalho, além da Represa Caiguava, o Rio Ipiranga, as Ruínas da Roda d’Água, o Canyon do Ipiranga, a Cachoeira Véu da Noiva e a Garganta do Diabo.

A Ponte São João, inclusive, é a maior de todas, com 113 metros de extensão, quase 60 metros de altura. Dá para acreditar que nela não foi usado nenhum parafuso, apenas rebite? O projeto é brasileiro, porém ela foi construída na Bélgica e levada até Paranaguá na época da construção da ferrovia.

Saúda de um túnel do percurso (Foto: Trip To Follow)

Saúda de um túnel do percurso (Foto: Trip To Follow)

O Viaduto do Carvalho citado acima é considerado um dos pontos altos do passeio. Ele tem 86 metros de extensão e foi construído sob 6 pilares de alvenaria fixados na rocha. Ele é o resultado de um acidente durante a sua construção! Quando o trem passa por ele, fica impossível ver os trilhos e isso causa a sensação de que estamos flutuando no penhasco. Deve ser lindo em dia de tempo firme, claro. Mas quando fomos foi especial. A fog tomava conta de tudo, então nos sentimos literalmente nas nuvens.

Vale também destacar a travessia pelo Túnel Roça Nova, logo no começo do percurso. Ele é o mais elevado da linha, a 955 metros acima do nível do mar, e com 457 metros de extensão. Prepare para ficar no escurinho por alguns segundos. Esse é o único túnel em linha reta de todo o caminho!

Passeio de trem para Morretes (Foto: Trip To Follow)

Passeio de trem para Morretes (Foto: Trip To Follow)

Há muito de flora e fauna a se observar. Não é para menos: o passeio é feito na maior área contínua de Mata Atlântica preservada do Brasil, reconhecido pela UNESCO como Reserva da Biosfera e Patrimônio Natural Mundial

A paisagem é bonita dos dois lados do trem, mas se você tiver escolha, opte por sentar do lado esquerdo quando o sentido for Curitiba-Morretes, e do lado direito quando o sentido for oposto.

Passeio de trem para Morretes, no Paraná (Foto: Trip To Follow)

Passeio de trem para Morretes, no Paraná (Foto: Trip To Follow)

|Horário e tempo de viagem

O trajeto demora aproximadamente 4h15, mas pode variar de acordo com as condições do percurso.

O passeio turístico tem saídas diárias apenas na alta temporada, de dezembro a fevereiro e em julho. Na baixa temporada as saídas acontecem apenas aos finais de semana (sexta, sábado e domingo).

Tanto na alta quanto na baixa temporada o trem parte às 8h15 de Curitiba e recomenda-se que o passageiro chegue 1 hora antes na estação.

Caso você queria retornar de trem, ele sai pontualmente às 15h sentido Curitiba.

Aconselhamos que você faça a reserva alguns dias antes principalmente na alta temporada.

Passeio de trem para Morretes (Foto: Trip To Follow)

Passeio de trem para Morretes (Foto: Trip To Follow)

|O que fazer em Morretes

Morretes parece aquelas cidades de interior que aparecem nas novelas, que o casamento acontece na igrejinha, a festa no coreto e todo mundo se conhece.

É muito fácil caminhar no centrinho histórico e conhecer os principais pontos de interesse. O rio Nhundiaquara, que nasce no alto da serra do Marumbi e deságua em Antonina, corta a cidade e muita gente aproveita para mergulhar durante o verão. Não foi nosso caso, infelizmente.

Morretes (Foto: Trip To Follow)

Morretes (Foto: Trip To Follow)

Com o friozinho que estava fazendo, optamos por nos aquecer com o famoso barreado (feito com carne de segunda, bacon e temperos tudo na panela de barro e, em seguida, misturado com farinha – seguindo a tradição, são duas colheres de farinha para duas conchas de barreado, tudo acompanhado com uma banana). Já dá para imaginar que é um prato pesadinho, né? Por isso, vá com fome!

Vários restaurantes servem esse prato tradicional da cidade, mas optamos pelo Restaurante Serra Verde Express, que ganhou destaque depois da visita de Ana Maria Braga e inclusive tem exposta uma pequena estátua do Louro José.

Rua principal de Morretes (Foto: Trip To Follow)

Rua principal de Morretes (Foto: Trip To Follow)

O barreado completo custa R$ 71 e vem muita coisa, inclusive frutos do mar. O barreado simples custa R$ 54, foi o que comemos e foi o suficiente. Lembre-se que esse é o valor por pessoa e não é possível pedir um para dividir.

Bom, bem alimentados, seguimos passeio. Morretes, que foi fundada em 1733, ainda guarda casarões coloniais históricos e construções bem preservadas em ruelas charmosas que cercam o rio.

Igrejinha de Morretes (Foto: Trip To Follow)

Igrejinha de Morretes (Foto: Trip To Follow)

As casas dividem espaço com lojinhas, restaurantes e espaços culturais. Aliás, nessas lojinhas você pode comprar as famosas balinhas de banana com açúcar (sim, aquelas que remetem à infância). Elas são originarias de Antonina, uma cidade litorânea do Paraná que fica a 15km de Morretes e, consequentemente, fazem muito sucesso por lá.

A Rua do Comércio é a mais movimentada de Morretes, abriga feirinhas de artesanato e termina na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Porto. Ela teve sua construção iniciada em 1812, onde havia uma pequena capela construída em 1769. Ela foi finalizada em 1850 e reúne painéis da via sacra pintados a óleo assinados pelo famoso pintor local Theodoro de Bona.

O sino que fica na frente da igreja veio de Portugal e é de 1854. O relógio da torre se mantém ativo desde a fundação da igreja.

Casarões abrigam lojas e restaurantes de Morretes (Foto: Trip To Follow)

Casarões abrigam lojas e restaurantes de Morretes (Foto: Trip To Follow)

A cidade tem uma pequena ponte famosa também, conhecida como Ponte de Ferro ou Ponte Metálica, que une os dois lados do rio.

Morretes também é famosa por suas cervejas artesanais locais, tendo como o rótulo mais famoso o da Cervejaria Porto de Cima (é possível encontrá-la no Empório do Largo). Outro rótulo de sucesso é a Cervejaria Bonato, da tradicional família Bonato desde 1950. É possível fazer um tour guiado pela fábrica.

Quem prefere cachaça, lá também é um bom local para experimentar uma diferente. Morretes tem algumas fábricas, sendo a mais famosa a Cachaça Porto Morretes.

Ponte de Morrtes (Foto: Trip To Follow)

Ponte de Morrtes (Foto: Trip To Follow)

|Vagões e preços

A viagem de Curitiba para Morretes é operada pela Serra Verde Express e tem várias opções de vagões e preços.

Há opções para todos os gostos e bolsos. Os valores abaixo são referentes apenas ao trajeto Curitiba – Morretes.

DICA IMPORTANTE! Se seu tempo for curto ou se você quiser ter mais tempo em Morretes, opte por fazer o trajeto de volta de trem. Nós fizemos com a Viação Graciosa e recomendamos.

São várias opções de horários, sendo o último às 20h15. Nós ficamos até às 15h30 e foi o suficiente para caminhar pelo centrinho de Morretes e almoçar. A passagem custa R$ 21,33. Compre aqui seu bilhete.


Seguros Promo

Econômica
Recomendada para montanhistas e passageiros frequentes. Não tem guia nem serviço de bordo.
Preço: R$ 21
Inclui: bilhete de trem no vagão econômico

Turística
Assento duplo em vagão intermediário e com poltronas estofadas
Preço: R$ 125
Inclui: bilhete de trem, serviço de bordo, kit lanche, 1 água ou 1 refrigerante, guia local

Camarote
Cabines para até 4 pessoas, que proporcionam todo o conforto e privacidade para grupos e famílias. A decoração é clássica e remete ao início do século passado.
Preço: 235
Inclui: bilhete de trem, serviço de bordo, lanche diferenciado, bebidas a vontade durante todo o trajeto (água, refrigerante e cerveja), guia bilíngue

Imperial
Mesas para até 4 pessoas, com decoração inspirada nos anos 30.
Preço: R$ 235
Inclui: bilhete de trem, serviço de bordo, lanche diferenciado, bebidas a vontade durante todo o trajeto (água, refrigerante e cerveja), guia bilíngue

Litorina Luxo
Vagões de luxo citados acima. Todas as litorinas possuem o mesmo serviço e contam com o mesmo nível de conforto. A venda é realizada de acordo com a disponibilidade dos carros, não sendo possível a escolha dos mesmos.
Preço: R$ 265
Inclui: bilhete de trem, serviço de bordo, café da manhã diferenciado, welcome drink, bebidas a vontade durante todo o trajeto (água, café, chá, refrigerante e cerveja), guia bilíngue

Barão do Serro Azul
É o único vagão com varanda. Ideal para quem deseja apreciar as paisagens da Serra do Mar e estar em contato direto com a natureza. O ambiente interno é moderno e arrojado, contando com janelas amplas e mesas para até 4 pessoas.
Preço: R$ 235
Inclui: bilhete de trem, serviço de bordo, lanche diferenciado, bebidas a vontade durante todo o trajeto (água, refrigerante e cerveja), guia bilíngue

Trem de Curitiba para Morretes (Foto: Trip To Follow)

Trem de Curitiba para Morretes (Foto: Trip To Follow)

*O Trip To Follow fez o passeio de trem até Morretes à convite da Serra Verde Express

O post Como é o passeio de trem para Morretes, no Paraná apareceu primeiro em Trip to Follow.