Pular para o conteúdo

Como será o shopping center do futuro?

Como será o shopping center do futuro?

As transformações estão acontecendo cada vez mais rapidamente, nas pessoas, nas cidades, nas empresas, nos setores. Boa parte da responsabilidade por essa transformação acelerada é da tecnologia, que nos oferece a possibilidade de enxergar o mundo sob outras perspectivas, reavaliando conceitos, definindo novos padrões e evoluindo na compreensão do que é bom e do que é ruim.

Ao longo dos últimos anos os padrões de consumo foram profundamente alterados, de lado porque o consumidor passou a se sentir cada vez mais senhor da própria vontade. De outro, porque os dados permitiram que as empresas conseguissem compreender de forma individualizada as necessidades dos consumidores. Essa nova dinâmica alterou a equação do consumo.

Um dos fatores preponderantes nessa matemática é a loja, ou o shopping center, que reúne diversas lojas. De acordo com a pesquisa Varejo e Shopping Centers: como a indústria do consumo pode se reinventardesenvolvida pela MIT Technology Review Brasil, várias das mudanças que estamos percebendo hoje se traduzem em uma palavra: experiência.

O consumo não vai deixar de existir, assim como os centros de compras. Logo, o desafio é focar naquilo que mais importa atualmente para o cliente, que é a boa experiência durante a jornada de consumo. “Os shopping centers serão cada vez mais centros de entretenimento e utilizarão estratégias omnichannel que conectem o comércio online e offline”, afirmam os responsáveis pela pesquisa, que completam dizendo que o entretenimento deve ser a nova força dos centros de compras.

Será cada vez mais comum a interação com o digital, por meio de Realidade Aumentada e Realidade Virtual. Imagine chegar em uma loja e, sem precisar vestir a roupa, se olhar no espelho e descobrir o look perfeito para você. Esse é o caminho das lojas, que deverão também diminuir em tamanho e de propósito. Para muitas marcas as lojas são o apoio logístico para evitar a última milha, fazendo com que os clientes retirem lá os produtos encomendados pela internet.

O relatório da MIT Technology Review Brasil aponta inúmeras tendências que passam pelo uso de hologramas até o aprimoramento da análise dados para a fidelização de clientes. O que mostra que cada vez mais a tecnologia vai ser o suporte para as transformações e que os shoppings centers precisam estar atentos a essa revolução nada silenciosa se quiserem se manter relevantes nos próximos anos. Foco no cliente e na tecnologia a serviço desse consumidor, esse é o mantra.

Comentários

comments

%d blogueiros gostam disto: