Pular para o conteúdo

Pacientes com câncer de próstata em tratamento hormonal são mais protegidos contra Covid-19

Pacientes com câncer de próstata em tratamento hormonal são mais protegidos contra Covid-19
O cirurgião oncológico Gustavo Cardoso Guimarães, diretor do Instituto de Urologia, Oncologia e Cirurgia Robótica (IUCR)

Os homens são mais suscetíveis às formas mais severas de Covid-19, mas um trabalho publicado na renomada revista científica Annals of Oncology, da Sociedade Europeia de Oncologia Clínica (ESMO), mostra que os pacientes com câncer de próstata tratados com bloqueio hormonal (ADT) têm quatro vezes menos risco de desenvolver as infecções por SARS-CoV-2 quando comparados com pacientes com câncer de próstata que não receberam essa mesma terapia.

Os pesquisadores coletaram os dados de 68 hospitais de Veneto, na Itália, uma das regiões mais atingidas pela Covid-19. Ao investigar os pacientes, os autores afirmam que embora o câncer resulte em um risco aumentado de SARS-CoV-2, os pacientes com câncer de próstata que recebem o tratamento de bloqueio hormonal estão mais protegidos contra esta infecção, que é causa da Covid-19.

A partir destes achados, os autores sugerem que a terapia de privação do hormônio androgênio (ADT) pode ser investigada como potencial tratamento contra as infecções causadas pelo novo Coronavírus. Para chegar a esta conclusão, extraíram as informações sobre hospitalização, internação em unidade de terapia intensiva, diagnóstico de tumor, diagnóstico de câncer de próstata, terapia hormonal e desfecho de morte entre 4532 pacientes homens com infecção por SARS-CoV-2.

O estudo teve início com mais de 9 mil pacientes e, antes de investigar exclusivamente os perfis na população masculina, os autores avaliaram o impacto da Covid-19 também em mulheres. Ao analisar o trabalho, o cirurgião oncológico, Gustavo Cardoso Guimarães, diretor do Instituto de Urologia, Oncologia e Cirurgia Robótica (IUCR) e coordenador geral dos Departamentos Cirúrgicos Oncológicos do grupo BP-A Beneficência Portuguesa de São Paulo, observa que os autores descobriram que os pacientes com câncer do sexo masculino tinham um risco 1,8 vezes maior de infecção por Covid-19. Além disso, os homens que desenvolveram complicações mais graves, foram mais frequentemente internados (60% dos homens contra 40% das mulheres) e também tiveram um resultado clínico pior do que as mulheres.

Ao investigar exclusivamente os homens, os autores descobriram que dos 4532 homens infectados com Covid-19, 430 (9,5%) tiveram algum tipo de câncer e 118 (2,6%) tiveram câncer de próstata. Por fim, os participantes foram divididos em dois grupos: pacientes com câncer de próstata inseridos em protocolo de ADT e os que não receberam esse tratamento. Foi então que o estudo mostrou que apenas 4 dos pacientes que receberam a terapia de privação de androgênio desenvolveram a infecção por SARS-CoV-2 e nenhum desses pacientes morreu.