Pular para o conteúdo

Campanha ‘Alimentos Tarja Verde’ propõe hábitos saudáveis na infância

Campanha ‘Alimentos Tarja Verde’ propõe hábitos saudáveis na infância

Quase um terço da população mundial está com sobrepeso ou obesidade. No Brasil, mais da metade da população está com excesso de peso e entre as crianças o índice fica em torno de 15% – e os números continuam a aumentar. Considerada pela Organização Mundial da Saúde uma epidemia mundial, a obesidade é fator de risco para várias doenças. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em sua Estimativa 2020 – Incidência de Câncer no Brasil, o país terá 625 mil novos casos a cada ano no triênio 2020-2022. Pela publicação, a obesidade estará entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento de 11 dos 19 tipos mais frequentes de tumores na população brasileira.

Uma iniciativa louvável do Instituto Vencer o Câncer propõe a prevenção da obesidade infantil e estimular hábitos saudáveis já na infância. É a campanha Alimentos Tarja Verde.

“A obesidade em crianças causa problemas cardiovasculares, psiquiátricos, metabólicos e oncológicos. Mais de 20 tipos de câncer são relacionados à obesidade infantil e de 30 a 35% dos tumores são ligados aos fatores obesidade, dieta e sedentarismo. Temos no mundo mais de 124 milhões de crianças obesas e 120 milhões com sobrepeso”, alertou o oncologista Fernando Maluf, um dos fundadores do Instituto.

Também fundador do Instituto, o oncologista Antonio Buzaid destaca a importância de dar atenção aos alimentos que são oferecidos para as crianças. “Precisa cuidar da alimentação em casa e na escola. A disponibilidade gera o problema: a criança vai comer o que estiver disponível”.

O foco principal do Tarja Verde é atacar a obesidade infantil e melhorar as rotinas alimentares das crianças. Como explica Maluf, é mais fácil mudar os hábitos de uma população mais flexível, como crianças e adolescentes, do que de adultos.

Perigo embutido nos alimentos

As carnes processadas – linguiça, salsicha, bacon, presunto – são consideradas pela OMS categoria 1 de carcinogênicos. Tem uma associação inequívoca com o risco de câncer. Cada porção diária de 50 gramas de carne processada, por exemplo, aumenta em 20% o risco de câncer colorretal.

Outro alerta de Buzaid é sobre o consumo de sucos, mesmo naturais, que pode aumentar o risco de câncer. “Há um estudo que relaciona refrigerantes e sucos juntos para o aumento do risco de câncer, pela grande quantidade de açúcar. Quando você prepara um suco, fica com o açúcar da fruta e tira a fibra. Ninguém come seis laranjas, mas toma o suco de seis laranjas, que tem bastante açúcar”.

Mais informações sobre a campanha: https://alimentostarjaverde.org