Pular para o conteúdo

A rotina após uma cirurgia como a do presidente Jair Bolsonaro

A rotina após uma cirurgia como a do presidente Jair Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro ao sair de hospital em SP nesta quarta-feira Crédito: Reprodução/Instagram

Uma cirurgia para reversão da colostomia, como a feita pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, é um alívio para muitos pacientes, mas as primeiras semanas após a operação são período de dúvidas e receios.

Os estomas intestinais são derivações do intestino para a parede abdominal feitos cirurgicamente, com a função de  construir um novo caminho para a saída das fezes para o exterior. Quando feitos com o intestino grosso são chamados de colostomia.  E a pessoa fica com uma bolsa coletora de fezes. Quando é revertida, a pessoa volta a evacuar como antes.  “É uma comunicação artificial. A reversão devolve a ligação com o intestino”, explica o médico Roberto Debski. “Leve e progressivamente, o paciente vai retomando a rotina alimentar. O intestino vai se readaptando”, diz Debski.

Thiago Costa Ribeiro, cirurgião do aparelho digestivo do Hospital Moriah, de São Paulo, esclarece outras dúvidas comuns sobre o assunto:

Muda a rotina da pessoa que retira a bolsa de colostomia ?

Sim. A função primordial do intestino grosso é a absorção de água e formação das fezes . No segmento do intestino grosso que encontrava-se sem a passagem de fezes por conta da colostomia é muito comum ocorrer atrofia da mucosa e perda  parcial e usualmente temporária e reversível dessas funções. Isso acaba levando à formação de fezes líquidas e com menor tempo de retenção no intestino grosso, traduzido clinicamente como evacuações líquidas e em maior numero de vezes quando em comparação aos parâmetros antes da colostomia.  Esse aumento de episódios evacuatórios, algumas vezes vem seguido de uma urgência evacuatória, o que obrigaria o paciente a “sair correndo” para conseguir chegar ao banheiro . Isso pode acontecer por alteração momentânea na sensibilidade do reto (porção final do intestino grosso).

Sendo assim, é comum a rotina diária do paciente ser afetada apos a reconstrução de transito intestinal, tendo em vista  as alterações de volume e consistência fecal, bem como a urgência evacuatória.

Quais os cuidados ele deve tomar em relação à alimentação?

Após a passagem do período de recuperação pós-operatória imediata, o que inclui a espera do retorno do funcionamento do intestino com evacuações e a completa realimentação já sem restrições de consistência alimentar , a dieta variará a depender da presença de fezes líquidas ou não.

De maneira geral, não há muita restrição alimentar nesta fase. Entretanto,  usualmente prefere-se uma dieta com menor potencial fermentativo evitando , por exemplo, derivados de leite, para diminuir o desconforto abdominal por gases. Além disso, é benéfica a utilização de alimentos ricos em fibras e de suplementos contendo probióticos para melhorar o aspecto das fezes e diminuir período de recuperação de consistência.

Pacientes ficam com receio? Se sim, quais são?

Sim. O receio quanto ao que pode ou não pode comer é algo muito comum . Outro medo frequente é quanto a urgência evacuatória e a necessidade de acesso fácil ao banheiro. Esses medos duram por poucas semanas e são resolvidos pela melhora progressiva do paciente com o decorrer do tempo.