Pular para o conteúdo

Oi, eu sou o Negueba

Oi, eu sou o Negueba

Fala aí, galera! Alô torcida do Flamengo! Saudações rubro-negras do Negueba!

É. Sou eu mesmo. Negueba a seu dispor. Não o Neguebinha do cracaço Malvadeza. Do Vini que joga pra caraleo. Sempre jogou. Pena que saiu cedo do Mengão. Mas saiu pra ganhar o mundo no Madrid. Ganhar jogos e títulos e o respeito que não tiveram com ele. Craque que era pobre. É preto. É vermelho e preto. E quem não é rubro-negro ama odiar. Quem não é de São Gonçalo acha que é o diabo. Mesmo ele sendo mesmo um capeta lá na ponta.

Como eu um dia joguei bem. Fui para a seleção de base. Joguei num Flamengo que não era tão bom. E eu mesmo não era tudo isso. Não aguentei a bronca. A pressão. A cobrança. A comparação. A realidade.

Como agora eu não tenho nada a ver com o sucesso merecido desse menino de ouro. Craque de drible fácil como o sorriso do Vini que é só bondade.

E que toda hora, quando querem falar mal o que não tem pra falar mal dele, falam que o Vinicius Jr. seria um “Neguebinha” na Espanha…

Só que o pessoal acaba esquecendo que este Negueba (que sou eu) também é gente (como você). Merece o respeito que até um craque respeitoso como o Tostão não teve lá atrás. Quando disse que tinha muitos Neguebas no futebol brasileiro… No sentido ruim de ser…. Negueba.

Eu mesmo.

Vontade de me chamar apenas Gilberto.  Meu nome. Não meu apelido que pegaram pra bater. Como ainda dão porrada no Vini. E batem com o nome com que eu apanho.

O meu.

Não. Este texto não é meu, do Negueba. É do Mauro Beting. Jornalista que não sabe o que penso e sinto. E, como todos, usou meu nome para criar uma situação. Mais uma vez  sem pedir licença. E respeito.

Mas, ao menos desta vez, para não me atacar.

(Não. Não é mesmo o Negueba falando. Sou eu. O Mauro. Tentando mais uma vez enaltecer o Malvadeza do Vini.  E tentando evitar a malvadeza que se faz sem pensar e sem sentir com o Negueba.

Pai, por favor. Perdoa essas pessoas ruins. E até as boas quando querem falar e fazer malvadeza).