Pular para o conteúdo

Toca pro Calleri, e o futebol que não se toca – São Paulo 4 x 0 Athletico Paranaense

Toca pro Calleri, e o futebol que não se toca – São Paulo 4 x 0 Athletico Paranaense

O São Paulo deve fazer um ótimo BR-22 (o que pra mim não significa que será campeão) pelo time que tem. Elenco. E pela mentalidade vencedora de Rogério Ceni. Pelo que jogou na estreia contra o desfalcado, debilitado, e desarmado Athletico,  com Calleri em noite de Calleri no Morumbi, pode sonhar. Deve se alegrar.

Daí saber o que vai ser, nem Rogério sabe. Nem Pai Nilson, Mãe Dinah ou o filho da mãe que quiser ou souber.

Mas vai vencer como a brilhante carreira de Ceni por não digerir derrotas como a do Paulistão. E externar isso como ele corajosamente fez.

O Athletico deve se recuperar. As 8 vitórias de Valentim em 28 jogos não são muitas – ainda que algumas históricas. Tem estrutura. Tem time. Elenco. Investimento. E o foco nos pontos corridos agora é institucional.

Mas a coisa anda tão maluca que a anormalidade brasileira segue lei. Dois treinadores já foram demitidos em apenas uma rodada. E não nos tocamos.

O próprio Valentim só falou que deixava o clube em “comum acordo” na segunda pergunta da entrevista coletiva. E não foi perguntado. Ele falou de próprio peito.

Vivemos dias estranhos de tão comuns no futebol brasileiro. Como o cada vez mais crível Hulk do Galo.