Pular para o conteúdo

A bola mais do que parada da Croácia

A bola mais do que parada da Croácia

Se ainda fosse Iugoslávia, com croatas, sérvios e bósnios como Dzeko num só time, daria mais caldo. Ainda assim é time para se classificar num grupo chato como foi o jogo que foi definido em duas bolas paradas como a partida. Os dois uniformes das equipes foram mais comentados que o jogo que fizeram.

1º TEMPO – A Croácia repetiu o que havia feito no primeiro tempo no amistoso contra o Brasil. Marcação lá em cima, pressão na saída da bola. Depois recuou. Mas ainda assim foi melhor nos primeiros 20 minutos, arriscando mais de fora da área. Só que não muito. O primeiro tempo se arrastava até o escanteio em que Mandzukic entrou de peixinho e a bola bateu em Etebo para abrir o placar, aos 31.

2º TEMPO  – A primeira chance mais ou menos da Nigéria foi num escanteio que deu em nada. A resposta croata veio apenas aos 18, com gol incrível perdido por Rebic. Tanto quanto nosso tempo no quarto jogo do dia. E nada mexiam os treinadores das duas equipes. Aos 14 entrou Brozovic como um dos volantes, com Modric adiantado para fazer a de Kramaric, para dar mais luz ao meio-campo croata.  E foi o que aconteceu contra uma Nigéria que assistiu ao domínio alheio. E ainda cometeu pênalti tolo Ekong no agarrão a Mandzukic, bem convertido por Modric, aos 25, e bem marcado por Sandro Meira Ricci.

CHANCES DE GOL –  CROÁCIA 4 X 0 primeiro tempo;  CROÁCIA 3 x 1 segundo tempo. TOTAL:  CROÁCIA 7 X 1

O LANCE – O apito final. O melhor do jogo.

O CARA – Modric. Arrumou atrás e organizou à frente. Mas sem muito brilho.

TÁTICA – Croácia no 4-2-3-1 com dois volantes que são meias e de grande qualidade como Rakitic e Modric; Nigéria espelhada no 4-2-3-1, mas com mais velocidade e jogo mais direto.

NOTAS DO JOGO – CROÁCIA 6 X 3 NIGÉRIA  –  JOGO NOTA 5

O CHUTE INICIAL – CROÁCIA 1 X 0 NIGÉRIA (palpite do bolão)

NO FRIGIR DAS BOLAS  – Mais uma vez falta algo ao futebol africano que, diziam, ganharia a primeira Copa em 1998… Os croatas também podem mais do que isso – como mostraram justamente naquele Mundial. Mas não muito mais.