Mogli-O-Menino-Lobo

Fui assistir ao filme e não me decepcionei. Confesso que sempre fico reticente quando mexem com lembranças vivas da minha infância, e que estava muito ansiosa para ver o resultado da adaptação que usou apenas efeitos de computação gráfica para compor os personagens bichos, dublados por uma constelação de nomes famosos. Indo ao cinema com as crianças, optamos por assistir a versão dublada. Acho que perdi. Por lá tínhamos Shere Khan, o tigre, voz de Idris Elba, a pantera Bagherah (Ben Kinsgley), o urso Baloo (Bill Murray), a cobra Kaa (Scarlett Johansson) e o gigantesco Rei Loiue (Christopher Walken). Por aqui Marcos Palmeira fez Baloo, Dan Stulbach a pantera Bagherah, Julia Lemmertz fará a voz de Raksha, a mãe-loba e Alinne Moraes a misteriosa serpente Kaa. O tigre Shere Khan tem a voz de Thiago Lacerda e Rei Louie foi dublado Tiago Abravanel. Não ouvi defeitos na dublagem, mas confesso que queria ter ouvido o resultado do original em inglês.

O filme é incrível! Perfeito em efeitos visuais, dá espaço para o que Mogli tem de melhor: Sua história simples sobre amizade e respeito. O filme foi realizado com U$ 175 milhões de dólares, e já entregou US$ 103,5 milhões, apenas nos Estados Unidos, superando a previsão da Disney, que mirava em de US$ 87 milhões. Em relação à arrecadação mundial, já são U$290.9 milhões.

Semana passada, soubemos que o filme dirigido por Jon Favreau ganhará muito provavelmente uma continuação. Agora, com a força dos números, essa história ganha mais força, e a possibilidade de acompanharmos o menino Mogli crescer na selva é cada vez mais certa. Espero que sigam com o menino indiano Neel Sethi, que vive Mogli em seu primeiro papel no cinema. Não deve ter sido fácil contracenar com o nada.

Pesquisa identifica como os jovens estão ouvindo música no Brasil O que será a Lemonade de Beyoncé?