Ontem, falamos aqui no blog e em tantos outros lugares sobre o caso de uma adolescente, identificada como C.B., de 17 anos, que compartilhou no Instagram um vídeo em que mostra a conversa dela com um motorista do Uber que a assedia, mesmo quando ela avisa que é menos de idade. O caso aconteceu na cidade de Porto Alegre.

O motorista diz que poderia namorar a garota, e que a diferença de idade não seria problema pois a jovem não é incapaz, pois não aparentava ter menos de 14 anos:

“Não é problema igual. Seria um problema se tu tivesse 13 anos. Eu acho que tu não tem 13 anos. Aí seria uma menor incapaz. De 14 anos para cima tu já é responsável.”

Mesmo com a garota dizendo que ele tem idade para ser pai dela,  o homem retruca:

“Não sou teu pai. Eu faria coisas que o teu pai não faria”

E sai da situação dizendo que estava “brincando”.

Ontem, Anitta divulgou um vídeo com a entrevista do motorista em que ele diz:

“Vocês tiveram acesso ao vídeo que ela postou me denegrindo, ela está sorrindo bem espalhada no canto, em posições que eu até nem gostaria de citar aqui, porque eu não posso provar, afinal de contas ela não se auto filmou no vídeo. Mas ela estava com um shortinho tipo Anitta, com uma miniblusa, com as pernas abertas no banco e chamando a atenção”

 

Uma vez a jurista Fabíola Sucasas esteve no Morning para falar da campanha “Juntos Podemos Parar o Abuso Sexual nos Transportes”, e disse uma coisa muito interessante sobre assédio:

“Se o abuso dissesse respeito sobre roupas curtas, ele quadruplicaria no verão. Mas isso não acontece. Se dissesse respeito a quantidade de sexo que uma pessoa fez na vida, criança não seria abusada. Mas isso não acontece. Se dissesse respeito a quanto a pessoa bebeu na vida, mulheres sóbrias não seriam abusadas. Mas isso não acontece. É culpa do agressor!”

Oje teve mais um tuíte do Weintraub Vencedores do BRIT Awards 2020 ( e eu sigo cantando Lewis Capaldi)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.