A 15ª da Feira Literária Internacional de Paraty, que acontece de 26 a 30 de julho de 2017 . Menor do que no ano passado, reunirá 56 editoras, pela primeira vez mais mulheres que homens entre os convidados e também 30% de autores convidados negros.

O principal homenageado é Lima Barreto, autor do romance O triste fim de Policarpo Quaresma e do conto O homem que sabia javanês.

Afonso Henriques de Lima Barreto nasce no Rio de Janeiro em 13 de maio de 1881. Mestiço, filho de uma família pobre, chegou a cursar engenharia, mas tornou-se jornalista. Em seus livros, retratou as injustiças sociais do Brasil e o preconceito do qual foi vítima. Viveu num Brasil que aboliu a escravidão somente em 13 de maio de 1888, quando o autor completava apenas 7 anos, e ainda sentia a morte da mãe . Viveu com o pai, que depois foi diagnosticado neurastênico, e para cuidar dele, Barreto deixou a Politécnica para sustentar a família. Começou a escrever regularmente em 1905, no Correio da Manhã.

Sua formação, balizada por educação de qualidade aconteceu por ser apadrinhado pelo influente Visconde de Ouro Preto. Morreu cedo, aos 41 anos, sofria com alcoolismo e depressão. Em vida sofreu preconceitos por ser negro e marginal, nunca conseguiu chegar perto da Academia Brasileira de Letras, que só o homenagearia postumamente.

Entre os convidados de destaque da FLIP está o jamaicano Marlon James, um dos três negros a vencer o Man Booker Prize, o principal da literatura britânica e um dos mais reconhecidos da literatura internacional.

Lázaro Ramos, participa já da abertura lendo trechos da recém-lançada biografia  (Companhia das Letras), de Lilia Moritz Schwarcz. O ator é também autor, e lançou recentemente seu primeiro livro para o público adulto, Na minha pele. e podem esperar mais de Lázaro, ele está escrevendo mais dois infantis e planeja também mais um adulto, sobre a paternidade. Os infantis serão O caderno de rimas da Maria (continuação de O caderno de rimas do João) e o segundo infantil, uma peça do Bando de Teatro Olodum, sob o título de O coelho que queria mais. 

Apesar de menos nomes internacionais, a FLIP também receberá o americano Paul Beatty, a A chilena Diamela Eltit, William Finnegan, repórter vencedor do Pulitzer por sua cobertura dos conflitos na África, o islandês Sjón, letrista de sucesso em parcerias com Björk entre outros.

VOCÊ INDICA, EU COMENTO: Gypsy Gênio dos Simpsons tem projeto engatilhado com a Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.