Depois do escândalo de acusações de assédio contra o produtor Harvey Weinstein, muitos se perguntavam o que a atriz americana Uma Thurman teria a dizer sobre o cara, já que foi ele, em dupla com Quentin Tarantino, que estava por trás do sucesso de Pulp Fiction e Kill Bill, filmes protagonizados por ela.

Ela demorou pra falar, e explicou isso dizendo que não queria falar com raiva para não se arrepender da forma com que se expressou. Ela prometeu que esperaria esse momento passar, e então diria o que tinha pra dizer.

Pois o momento chegou. E a atriz falou pela primeira vez sobre o assédio sexual que sofreu, por parte do produtor Harvey Weinstein. Em entrevista publicada pelo The New York Times no sábado, Uma Thurman falou da primeira investida, que aconteceu em um hotel em Paris quando a pretexto de discutir um novo roteiro, o produtor a recebeu no quarto de roupão. Depois, em um hotel em Londres:

“Ele me empurrou para baixo. Tentou se jogar sobre mim. Tentou se exibir. Fez todo tipo de coisa desagradável”

Para coagi-la e silencia-la, Weinstein ameaçou acabar com sua carreira. Ao The New York Times, o produtor confirmou as abordagens, mas alegou “interpretação errada dos sinais”.

Nesta mesma entrevista, Uma Thurman falou de outros acontecimento. Ela contou que o diretor Quentin Tarantino a forçou fazer uma cena sem dublê, pela qual sofreu um acidente nas filmagem de Kill Bill. Thurman teve que dirige um carro que estava modificado em alta velocidade.

Quentin veio no meu trailer e não gostou de ouvir um ‘não’, como qualquer diretor. Ele disse: ‘Eu prometo a você que o carro está ótimo. É um pedaço de estrada reta’”.

Deu ruim. Durante a filmagem, o carro perdeu a direção e bateu. A atriz disse que ficou com danos permanentes no joelho e no pescoço. As imagens do acidente ficaram retidas pela produtora de Weinstein, a Miramax, por anos. Tarantino teria se desculpado com Uma Thurman, e inclusive mais tarde, entendido o comportamento acedioso de Weinstein e defendido a atriz frente ao produtor, que teria inclusive pedido desculpas à ela pelo comportamento.

Foram 15 anos brigando para que a Miramax liberasse as imagens do acidente. Thurman só pode ter essas imagens este ano, quando o próprio Tarantino as entregou como mais uma forma de se redimir do acontecido. Foi com a cena desse acidente, que a atriz veio mais uma vez à público para falar sobre as reações frente as suas alegações. Em post no Instagram, ela isenta o diretor da culpa pelo acidente.

Quentin se mostrou profundamente arrependido em diversos momentos desde esse dia”

“Ele [Tarantino] fez isso com toda a consciência que a revelação dessa cena lhe causaria dano pessoal. Eu estou orgulhosa dele por fazer a coisa certa e por sua coragem”

i post this clip to memorialize it’s full exposure in the nyt by Maureen Dowd. the circumstances of this event were negligent to the point of criminality. i do not believe though with malicious intent. Quentin Tarantino, was deeply regretful and remains remorseful about this sorry event, and gave me the footage years later so i could expose it and let it see the light of day, regardless of it most likely being an event for which justice will never be possible. he also did so with full knowledge it could cause him personal harm, and i am proud of him for doing the right thing and for his courage. THE COVER UP after the fact is UNFORGIVABLE. for this i hold Lawrence Bender, E. Bennett Walsh, and the notorious Harvey Weinstein solely responsible. they lied, destroyed evidence, and continue to lie about the permanent harm they caused and then chose to suppress. the cover up did have malicious intent, and shame on these three for all eternity. CAA never sent anyone to Mexico. i hope they look after other clients more respectfully if they in fact want to do the job for which they take money with any decency.

Uma publicação compartilhada por Uma Thurman (@ithurman) em

“A forma como isso foi acobertado depois que aconteceu é que é imperdoável. Eu culpo Lawrence Bender, E. Bennett Walsh e o notório Harvey Weinstein por isso. Eles mentiram, destruíram evidências e continuam me contradizendo sobre o dano que sofri”.

Weinstein também se pronunciou. Ele negou que tenha acobertado o ocorrido e destruído evidências. Para se justificar, disse ainda que Uma Thurman seguiu trabalhando com ele em mais três filmes, inclusive o ainda inédito The War With Grandpa.

Quentin Tarantino também comentou as declarações de Uma Thurman. Em entrevista publicada hoje pelo Deadline o diretor conta que sabia do que seria dito na entrevista da atriz ao NYT, e reafirma que foi ele quem forneceu à ela o vídeo do acidente:

“Uma e eu conversamos sobre isso por um longo tempo, decidindo como ela faria a revelação. Ela queria esclarecer a história depois de tanto tempo. Perguntou se poderia ter acesso ao vídeo e eu tive que achar, 15 anos depois. (…) O acidente era claro. Fiquei feliz de ter conseguido o vídeo para ela”.

O diretor falou da percepção que fica após a leitura da matéria, de que ele seria o responsável pelo acobertamento do acidente e que os acusados non post de Instagram de Uma já teriam inclusive mobilizado advogados.

“Uma queria acusar certas pessoas no artigo, por terem acobertado o acidente. Parte do meu trabalho era fazer uma entrevista com Maureen Dowd [jornalista da matéria do NYT] e apoiar as acusações de Uma, mas eu e Dowd acabamos não nos encontrando. Eu li o artigo e parece que todos os caras chamaram advogados, então não foram nomeados, e eu acabei levando a culpa inteira”.

Sobre o acidente, Tarantino diz que nunca considerou que a cena fosse perigosa, que ficou irritado com a hesitação da atriz porque não considerava que realmente se precisasse de uma dublê. Ele também falou sobre o acidente:

“Simplesmente horrível. Vê-la tentando assumir controle do carro… Fiquei lembrando de falar pra ela como era seguro e como ela poderia fazer, enfatizando que era uma estrada reta, reta… O fato de que ela acreditou em mim, e eu literalmente vi esta pequena curva surgindo. E ela roda em falso. Foi muito triste. De longe um dos maiores arrependimentos de minha carreira, um dos maiores arrependimentos da minha vida. Por muitos motivos”.

O diretor acredita, assim como Thurman, que o acobertamento do acidente aconteceu por produtores da Miramax e claro que por Harvey Weinstein. Ele também contou que intermediou uma trégua entre a atriz e o produtor para que realizassem juntos Kill Bill.

Outro ponto da entrevista que tem sido bastante polêmico, e considerado como uma atitude do diretor em subjugar a atriz é o fato de ele ter esganado e cuspido em Uma também para as filmagens da produção. Sobre isso, Tarantino negou qualquer tipo de abuso, explicou que foi tudo conversado e disse:

“Não há nenhuma citação de Uma sobre isso. Ela não compartilhou isto com Maureen Dowd. Dowd entrevistou alguém que falou isto. Por algum motivo as pessoas estão falando muito sobre isso, mas eu não entendo. Você já viu filmes que pessoas levam cuspidas na cara?”

 

A série que você vai querer acompanhar: O Assassinato de Gianni Versace Aquele feat que você esperava: Pabllo Vittar e..... Whindersson Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.