Com 32 indicações, Game of Thrones era a favorita da noite. No total, levou 12 prêmios, 10 técnicos, e 2 em palco na premiação mais importante da televisão americana, o Emmy Awards. GoT foi escolhida como a melhor série dramática, apesar de uma última temporada considerada ruim inclusive para muitos fãs da saga da HBO. Dez atores estavam indicados nas principais categorias, muitos financiaram suas próprias inscrições na premiação. Apenas Peter Dinklage (Tyrion) garantiu o seu, como Melhor Ator Coadjuvante. Na história, porém, GoT deixou sua marca: foram 59 vitórias por suas oito temporadas.

Me chamou a atenção as premiações de OZARK. A série Netflix conseguiu prêmios importantes que provam que a manobra de Jason a Bateman de lançar ao protagonismo as mulheres da série, e se dedicar mais à direção, deu certo. Foram duas duas estatuetas: melhor direção em série de drama ( para o próprio Bateman) e melhor atriz coadjuvante em série de drama, para a ótima Julia Garner (Ruth Langmore), que desbancou quatro indicadas de Game of Thrones e Fiona Shaw, que concorria por Killing Eve.

E por falar em Killing EveJodie Comer que concorria com a Sandra Oh, ambas protagonistas na mesma série, acabou levando o prêmio de melhor atriz em série dramática no Emmy 2019. A serial killer cheia de disfarces e sotaques foi, na minha modesta opinião, acertadamente reconhecida. A série está disponível no Brasil em duas temporadas pela Globoplay, e tem roteiro de Phoebe Waller Bridge, de quem falaremos a seguir.

Como melhor ator em série de drama, venceu Billy Porter que interpreta Pray Tell na série Pose, do canal FX. Billy é o primeiro homem assumidamente gay a ganhar o Emmy nesta categoria.

“Tantas pessoas me ajudaram a chegar aqui ao longo do caminho” (…) todos têm o direito de andar no mundo e sentir que pertencem.”

“Nós, como artistas, somos aqueles que mudam a estrutura molecular dos corações e mentes das pessoas que caminham nesta Terra (..) por favor, não parem de dizer a verdade.”

No segmento de comédia, a temporada final de Veep gerava expectativas. Recordem que Julia Louis-Dreyfus, indicada como melhor atriz em série de comédia, já venceu seis vezes na categoria. Pois desta vez, a noite foi mesmo a britânica Phoebe Waller Bridge, que levou como melhor atriz e consagrou Fleabag como a melhor série de comédia. A série ainda levou os prêmios de melhor roteiro de comédia (Phoebe Waller-Bridge), e melhor direção, ambos referentes ao primeiro episódio da segunda temporada. A primeira temporada de Fleabag estreou no Prime Video, em 2016. A segunda temporada, sobre a qual diz respeito o prêmio de ontem, foi lançada em maio deste ano.

Phoebe está trabalhando no roteiro do novo 007, que marcará a 25ª aventura de James Bond. Ela foi procurada justamente para dar “um olhar feminino” à história. Em breve também teremos notícias de um projeto secreto que ela está preparando com a HBO.

Bill Hader levou o Emmy de Melhor Ator em série de comédia pela série Barry, da HBO, que concorria em outras 17 categorias. Maravilhosa Sra. Maisel, Prime Video, premiou seus ótimos coadjuvantes.

A categoria de minissérie foi basicamente dominada por Chernobyl, produção da HBO que fez bastante sucesso por aqui. A trama que narra os bastidores da catástrofe nuclear levou a categoria melhor direção em minissérie (Johan Renck),  melhor roteiro em série limitada (Craig Mazin) e fechou desbancando Olhos Que Condenam, sendo reconhecida como a melhor minissérie. 

Para a produção de Ava DuVernay, que trata da injustiça do caso dos 5 do Central Park, restou o prêmio de melhor ator para Jharrel Jerome, de apenas 21, que desbancou nomes como Benicio Del Toro, Hugh Grant e Jared Harris.

Michelle Williams venceu o prêmio de melhor atriz em minissérie (série limitada) ou filme para a TV, por Fosse/Verdon. Em seu discurso fez um apelo aos chefões de Hollywood:

“Tive mais aulas de danças do que imaginava, sim. Uma peruca diferente, dentes falsos, sim. Tudo isso exigiu esforço e mais dinheiro, mas os meus chefes nunca agiram como se soubessem melhor do que eu sobre o que era preciso para fazer meu trabalho e honrar Gwen Verdon [dançarina da Broadway]. Então eu agradeço pelo apoio completo e por me pagarem igualitariamente”

(…) Na próxima vez que uma mulher, especialmente uma mulher de cor, disser do que precisa para fazer seu trabalho, ouça-a. Acredite nela. Um dia, ela pode aparecer na sua frente e dizer: ‘Obrigado’. Por permitir que ela tenha sucesso com seu trabalho, e não apesar dele”

Patricia Arquette chorou ao receber o prêmio de melhor atriz coadjuvante em minissérie (série limitada) ou filme para TV pelo seu trabalho em The Act. A falou da irmã, Alexis Arquette, que morreu em setembro de 2016, e pediu pelo fim da perseguição às pessoas trans.

“É muito triste. Eu perdi minha irmã, Alexis. As pessoas trans estão sendo perseguidas, e eu choro todo dia da minha vida, Alexis, e vou chorar todo dia por você até que a gente mude o mundo para que as pessoas trans não sejam mais perseguidas. Deem trabalho para eles, são seres humanos. Chega de preconceito. Muito obrigada”

Alexis Arquette morreu em setembro de 2016. Ativistas transexual, teve uma parada cardíaca em decorrência de miocardite, consequência da batalha contra o HIV, contraído por ela no fim da década de 80.

Confira todos os vencedores:

DRAMA 

Melhor série

“Better Call Saul”
“Bodyguard”
“Game of Thrones”
“Killing Eve”
“Ozark”
“Pose”
“Succession”
“This is Us”

Melhor ator

Jason Bateman – “Ozark”
Sterling K. Brown – “This is Us”
Kit Harington – “Game of Thrones”
Bob Odenkirk – “Better Call Saul”
Billy Porter – “Pose”
Milo Ventimiglia – “This is Us”

Melhor atriz

Emilia Clarke – “Game of Thrones”
Jodie Comer – “Killing Eve”
Viola Davis – “How to Get Away With Murder”
Laura Linney – “Ozark”
Mandy Moore – “This is Us”
Sandra Oh – “Killing Eve”
Robin Wright – “House of Cards”

Melhor ator coadjuvante

Jonathan Banks – “Better Call Saul”
Giancarlo Esposito – “Better Call Saul”
Alfie Allen – “Game Of Thrones”
Nikolaj Coster-Waldau – “Game Of Thrones”
Peter Dinklage – “Game Of Thrones”
Michael Kelly – “House Of Cards”
Chris Sullivan – “This Is Us”

Melhor atriz coadjuvante

Gwendoline Christie – “Game of Thrones”
Lena Headey – “Game of Thrones”
Sophie Turner – “Game of Thrones”
Maisie Williams – “Game of Thrones”
Fiona Shaw – “Killing Eve”
Julia Garner – “Ozark”

Melhor direção

David Benioff e DB Weiss – Game of Thrones – “The Iron Throne”
David Nutter – Game of Thrones – “The Last of The Starks”
Miguel Sapochnik – Game of Thrones – “The Long Night”
Lisa Brühlmann – Killing Eve – “Desperate Times”
Jason Bateman – Ozark – “Reparations”
Adam McKay – Succession – “Celebration”
Daina Reid – The Handmaid’s Tale – “Holly”

Melhor roteiro

Better Call Saul – “Winner”
Bodyguard – “Episódio 1”
Game Of Thrones – “The Iron Throne”
The Handmaid’s Tale – “Holly”
Killing Eve – “Nice And Neat”
Succession – “Nobody Is Ever Missing”

COMÉDIA

Melhor série

“Barry”
“Fleabag”
“The Good Place”
“Maravilhosa Sra. Maisel”
“Boneca Russa”
“Veep”
“Schitt’s Creek”

Melhor ator

Anthony Anderson – “Black-Ish
Don Cheadle – “Black Monday”
Ted Danson – “The Good Place”
Michael Douglas – “O Método Kominsky”
Bill Hader – “Barry”
Eugene Levy – “Schitt’s Creek”

Melhor atriz

Christina Applegate – “Disque Amiga Para Matar”
Rachel Brosnahan – “Maravilhosa Sra. Maisel”
Julia Louis-Dreyfus – “Veep”
Natasha Lyonne – “Boneca Russa”
Catherine O’Hara – “Schitt’s Creek”
Phoebe Waller-Bridge – “Fleabag”

Melhor ator coadjuvante

Anthony Carrigan – “Barry”
Stephen Root – “Barry”
Henry Winkler – “Barry”
Alan Arkin – “O Método Kominsky”
Tony Shalhoub – “Maravilhosa Sra. Maisel”
Tony Hale – “Veep”

Melhor atriz coadjuvante

Sarah Goldberg – “Barry”
Sian Clifford – “Fleabag”
Olivia Colman – “Fleabag”
Betty Gilpin – “GLOW”
Alex Borstein – “Maravilhosa Sra. Maisel”
Marin Hinkle – “Maravilhosa Sra. Maisel”
Kate McKinnon – “Saturday Night Live”
Anna Chlumsky – “Veep”

Melhor direção

Alec Berg – “Barry”
Bill Hader – “Barry”
Mark Cendrowski – “The Big Bang Theory”
Harry Bradbeer – “Fleabag”
​Amy Sherman-Palladino – “Maravilhosa Sra. Maisel”
Daniel Palladino – “Maravilhosa Sra. Maisel”

Melhor roteiro

Barry – “ronny/lily”
Fleabag – “Episódio 1”
The Good Place – “Janet(s)”
PEN15 – “Anna Ishii-Peters”
Boneca Russa – “Nothing In This World Is Easy”
Boneca Russa – “A Warm Body”
Veep – “Veep”

MINISSÉRIE

 Melhor minissérie

“Chernobyl”
“Escape at Dannemora”
“Fosse/Verdon”
“Objetos Cortantes”
“Olhos que Condenam”

Melhor ator em minissérie ou filme para TV

Mahershala Ali – “True Detective”
Benicio del Toro – “Escape at Dannemora”
Hugh Grant – “A Very English Scandal”
Jared Harris – “Chernobyl”
Sam Rockwell – “Fosse/Verdon”
Jharrel Jerome – “Olhos que Condenam”

Melhor atriz em minissérie ou filme para TV

Amy Adams – “Objetos Cortantes”
Patricia Arquette – “Escape at Dannemora”
Aunjanue Ellis – “Olhos que Condenam”
Joey King – “The Act”
Niecy Nash – “Olhos que Condenam”
Michelle Williams – “Fosse/Verdon”

Melhor ator coadjuvante em minissérie ou filme para TV

Stellan Skarsgård – “Chernobyl”
Paul Dano – “Escape At Dannemora”
Ben Whishaw – “A Very English Scandal”
Asante Blackk – “Olhos que Condenam”
John Leguizamo – “Olhos que Condenam”
Michael K. Williams – “Olhos que Condenam”

Melhor atriz coadjuvante em minissérie ou filme para TV

Patricia Arquette – “The Act”
Emily Watson – “Chernobyl”
Margaret Qualley – “Fosse/Verdon”
Patricia Clarkson – “Objetos Cortantes”
Marsha Stephanie Blake – “Olhos que Condenam”
Vera Farmiga – “Olhos que Condenam”

Melhor direção

Stephen Fears – “A Very English Scandal”
Johan Renck – “Chernobyl”
Ben Stiller – “Escape At Dannemora”
Jessica Wu – Fosse/Verdon – “Glory”
Thomas Kail – Fosse/Verdon – “Who’s Got The Pain”
Ava DuVernay – “When They See Us”

Melhor roteiro

“Chernobyl” – Série completa
“Escape At Dannemora” – Episódio 6
“Escape At Dannemora – Episódio 7
“Fosse/Verdon – Providence
“A Very English Scandal” – Série completa
“Olhos que Condenam” – Parte Quatro

OUTROS PRÊMIOS

Melhor telefilme

“Black Mirror – Bandersnatch”
“Brexit”
“DeadWood”
“Rei Lear”
“My Dinner with Hervé”

Melhor roteiro em série de variedades

Documentary Now!
Full Frontal With Samantha Bee
Last Week Tonight With John Oliver
Late Night With Seth Meyers
Saturday Night Live
The Late Show With Stephen Colbert

Melhor esquete em série de variedades

At Home with Amy Sedaris
Documentary Now!
Drunk History
I Love You, America with Sarah Silverman
Saturday Night Live
Who Is America

Melhor direção em série de variedades

Alex Buono e Rhys Thomas – Documentary Now! – “Waiting For The Artist
Derek Waters – Drunk History – “Are You Afraid of The Drunk?
Paul Pennolino – Last Week Tonight With John Oliver – “Psychics
Don Roy King – Saturday Night Live – “Host: Adam Sandler
Jim Hoskinson – The Late Show With Stephen Colbert – “Live Midterm Election Show
Sacha Baron Cohen, Nathan Fielder, Daniel Grey Longino e Dan Mazer – Who Is America? – “Episode 102

Melhor talk show de variedades

Full Frontal With Samantha Bee
Jimmy Kimmel Live!
Last Week Tonight With John Oliver
The Daily Show With Trevor Noah
The Late Late Show With James Corden
The Late Show With Stephen Colbert

 

Nesse caso, só quero ouvir Pedro Scooby A história de Greta Thunberg e o poder de seu discurso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.