Na tarde de ontem, uma mulher armada invadiu a sede do YouTube, em San Bruno, Califórnia. Funcionários ouviram os tiros e evacuaram os escritórios com a ajuda da polícia local. Mesmo assim,forma quatro as vítimas feridas pelas atiradora, que depois teria cometido suicídio.

A polícia já confirmou a identificação da atiradora como Nasim Aghdam, de 39, que morava em San Diego a e postava diversos vídeos no YouTube em que tratava de assuntos como a defesa dos animais, e também reclamava de que a companhia estaria censurando seus conteúdos. Segundo especulações dos canais de televisão americanos, a informação inicial de que o conflito teria se iniciado em um conflito doméstico não se confirma e ao que parece, a garota poderia ter deixado a casa dos pais, que haviam reportado seu desaparecimento, para ir até a sede da empresa que ela dizia odiar, para tirar satisfação sobre o tratamento dado aos seus vídeos.

Em comunicado oficial, Sundar Pichaim, que é CEO do Google, empresa dona do YouTube, agradeceu aos funcionários que estavam dentro do prédio e informaram sobre o tiroteio, além de ajudarem as vítimas, além de elogiar a ação da equipe de segurança que agiu rapidamente para manter todos a salvo. Ele falou sobre as 4 vítimas e dos esforços da empresa para dar suporte à elas e às famílias, além do suporte para que toda a comunidade Google se cure dessa tragédia.

A CEO do YouTube, Susan Wojcicki também se pronunciou neste mesmo sentido através deste post:

VOCÊ INDICA, EU COMENTO: Collateral Martin Luther King: Frase, música, filme, livro e uma minissérie ainda inédita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.