Depois de toda polêmica que envolveu o anúncio da atriz Scarlett Johansson como protagonista de Rub and Tug, no qual interpretaria um homem transgênero, eis que a atriz recuou:

“Tendo em vista as questões éticas ao redor da minha escalação para viver Dante Tex Gill, eu decidi respeitosamente voltar atrás quanto à minha participação no projeto. Nossa compreensão cultural sobre pessoas transgêneras continua a avançar e aprendi muito sobre a comunidade desde a minha primeira declaração sobre a escalação e percebi que fui insensível. Tenho grande admiração e amor pela comunidade trans e sou grata pelo fato das conversas sobre inclusão continuarem em Hollywood. De acordo com o GLAAD, o número de personagens LGBTQ+ caiu em 40% em 2017 em relação ao ano anterior, sem nenhuma representação de personagens trans em nenhum grande estúdio.

Embora adoraria ter a oportunidade de dar vida à história e à transição de Dante, entendo por que muitos sentem que ele deveria ser interpretado por uma pessoa transgênera e sou grata ao debate, apesar de controverso, que deu origem a uma discussão mais ampla sobre diversidade e representatividade no cinema. Acredito que os artistas deveriam ser considerados de modo igual e justo. Minha produtora, These Pictures, ativamente busca projetos que possam tanto entreter quanto quebrar fronteiras. Estamos ansiosos para trabalhar com todas as comunidades para trazer essas histórias mais pungentes e importantes para um público global.”

RELEMBRE:

Scarlett Johansson foi anunciada como protagonista de Rub & Tug, a cinebiografia de Dante “Tex” Gill homem transgênero que comandou a máfia de casas de massagens durante a década de 1970. A escolha da atriz cisgênero, para o papel, polemizou.

Não foi a primeira vez que a atriz embarcou numa polêmica por ocupar um lugar que de acordo com muitos não lhe pertence, e acabar excluindo a oportunidade para quem tem menos oferta de emprego em Hollywood. Scarlett protagonizou A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell, que é originalmente um mangá estrelado por uma personagem asiática. o diretor, por sinal, é o mesmo nos dois casos polêmicos: Rupert Sanders.

Os representantes de Scarlett Johansson fizeram então uma declaração sobre a polêmica, que caiu muito mal:

“Falem para eles [os críticos] mandarem suas mensagens para Jeffrey Tambor, Jared Leto e Felicity Huffman também falarem sobre o assunto”

A referência é aos personagens interpretados pelos atores em Transparent, Clube de Compras Dallas e Transamerica. A atriz Jamie Clayton, de Sense8, que é transgênero criticou explica claramente a questão:

“Atores transgêneros são chamados apenas para audições de papeis trans, nem são considerados para outros tipos de papeis. ISSO É UM PROBLEMA REAL. A GENTE NEM CONSEGUE ENTRAR NA SALA. ESCALEM ATORES TRANS EM PAPEIS CIS. EU DESAFIO VOCÊS!”

A diversidade tem encontrado seus espaços. A produção Uma Mulher Fantástica (2017), que levou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro é protagonizada por Daniela Vega e em breve teremos acesso à série Pose, que quebrou recorde ao ter o maior número de atrizes trans em seu elenco regular.

O novo filme Rub & Tug, agora sem Scarlett Johansson como protagonista, deve começar sua produção em fevereiro, com orçamento estimado em US$ 30 milhões.

Emmy Awards: Eis que a Netflix passou a HBO em número de indicações Leo Dias X Naldo: Treta com direito a acusações sérias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.