Quem assistiu a Gil Gomes nunca se esqueceu da sua forma de contar crimes. Nesta terça, depois de ser encaminhado ao Hospital São Paulo, desacordado e em estado grave, veio a falecer, aos 78 anos. Gil foi socorrido por equipe do Samu e levado para o pronto-socorro. De acordo com a assessoria do centro médico, ele morreu em decorrência de um câncer.

Gil Gomes foi diagnosticado com Parkinson em 2005, e desde então tentava combater a doença degenerativa que começa com tremores, depois dificultando movimentos e até mesmo o equilíbrio.

Gil Gomes, que começou no rádio e depois foi par a TV, iniciou sua carreira na Rádio Marconi, na década de 1960. No SBT, fez sucesso no programa Aqui e Agora, entre os anos 1991 e 1997. Sua forma de contar crimes, dramática, e pontuada pelos movimentos que fazia com as mãos foram marcas da sua forma de fazer televisão. Também no SBT participou do quadro Histórias que o Povo Conta, com o vidente Robério de Ogun, no qual narrava histórias trágicas dramatizadas.

Em 1999, o ex-repórter participou da Escolinha do Barulho, da RecordTV e também comandou um programa na Rádio Tupi. Depois de afastado para tratar do Mal de Parkinson, chegou a participar de um programa patrocinado por uma rede de farmácias.

 

Beto Barbosa e sua luta contra o câncer Regina Duarte, José de Abreu, Maytê Proença e as eleições

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.