O ator argentino Ricardo Darín, quase onipresente em todas as boas produções do cinema de lá, se defendeu das acusações de maus-tratos feitas pelas atrizes Valeria Bertuccelli e Érica Rivas.

“Ele me tratou de uma maneira que não se trata uma colega de trabalho. Fiquei muito mal, cheguei a desmaiar. Muitas vezes coisas do gênero acontecem, e sempre busco resolvê-las da melhor maneira: conversando. Mas o que aconteceu foi gravíssimo”

Esta é parte da narrativa da atriz Valeria Bertuccelli, que abandonou uma peça em 2014, quando contracenava com Darín, exatamente por seu comportamento. A atriz também se mostrou ressentida pois quando ela saiu da peça, ainda foi espalhado que o motivo da saída seria porque ela estava apaixonada por Darín, e essa paixão teria sido descoberta por seu marido que exigiu sua saída. No ano passado, a atriz Érica Rivas também teria se desentendido com o ator, com quem filmou La Cordillera (2017). Disseram até mesmo que Rivas teria ido à polícia denunciar o ator, que desmentiu a história.

Darín falou por telefone com um programa da TV argentina e disse que é importante ouvir quando uma mulher faz uma reivindicação que também se indignou com o boato do motivo da saída por uma paixão que a atriz teria tido por ele, e pediu desculpas publicamente, como lhe pediu a atriz na entrevista à cima.

Agora em entrevista à um programa de TV, pego de surpresa em um aeroporto,  Ricardo Darín confirmou as denúncias de maus tratos das atrizes e disse:

“Estou chocado e devastado. Estou atônito. E tentando entender como as coisas aconteceram e por que elas foram se transformando em outras”

“Já pedi desculpas, que não foram bem interpretadas. Na verdade, foram distorcidas. Estamos vivendo um momento difícil de muita hipersensibilidade com todos os movimentos dos direitos femininos, a lei do aborto, o movimento #NiUnaMenos . Tudo tende a pender para um determinado lado, e as histórias acabam sendo atreladas a episódios de violência de gênero, o que é um pouco perverso porque creio que não tenha nada a ver. É doloroso porque é muito difícil se defender quando tudo vai ser mal interpretado”

O ator falou diretamente aos boatos de embates com Érica Rivas:

“É um momento de hipersensibilidade social, e aproveitar-se desta conjuntura para colocar esses episódios como uma questão de violência de gênero é muito perverso e não me parece casual. É algo muito infantil. Não sei o que comentar. Com Érica (Rivas), tivemos uma grande discussão em determinado momento. Encaminhei um pedido de desculpas a ela, que não foi aceito. Gostaria de falar com ela”

Darín quer na verdade diferenciar o que ele fez, da série de denúncias de abuso e assédio sexual:

“Me colocaram no grupo dos indesejáveis. Dos que maltratam, são agressivos, violadores em série. Houve uma publicação americana que falou em ‘Harvey Weinstein argentino'”.

 

A esposa de Darín também saiu em defesa do marido, dizendo que considerou as declarações de Valeria oportunistas:

Vai assistir Os Incríveis 2? Então se liga nesse alerta Canadá legaliza livre consumo e produção da maconha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.