Criticar é algo bastante comum nas redes sociais, e muitas vezes as críticas fazem sentido. Mas no caso dos ataques à marca Polenguinho… Gente. O que aconteceu? Foi feito um post no Facebook, uma remontagem da cada do álbum The Dark Side Of The Moon do Pink Floyd, onde o prisma refrata a luz branca nos espectros coloridos foi substituído pelo queijinho quadradinho. E caso houvesse dúvida da referência, a legenda estava ali:

“Dark Side da Fominha: você não vai parar de ouvir até comer um Polenguinho.”

E acreditem, olha o post dos comentários:

“Até Polenguinho fazendo ideologia de gênero! Na boa, empresa pondo arco íris já está incitando os fatos. Menos um produto em meu lar e dos meus familiares.”

MESMO SE FOSSE… Gente. Claro que muitos outros se divertiam com a confusão, e ainda gostavam das respostas da marca para alguns usuários.

“Disclaimer: Nossa equipe criativa teve como inspiração a capa do álbum The Dark Side of The Moon, da banda Pink Floyd, para “brincar” com o conceito de fominha, tão utilizado quando o assunto é Polenguinho. Prezamos pela paz, pelo respeito e pela igualdade em nossa comunidade aqui. Embora não tenhamos feito alusão ao movimento LGBT+, temos máximo respeito pela causa. Contamos com todos que adoram o queijinho mais querido do Brasil desde mil novecentos e bolinha para fomentar uma comunicação afetuosa e fluída por aqui! Obrigado. <3”

Quem espiasse a timeline da marca também compreenderia a imagem, já que o post anterior fazia o mesmo tipo de brincadeira com  os Beatles.

Mais denúncias de abuso em Hollywood: Jennifer Lawrence, Reese Witherspoon, America Ferrera e Bjork Cineminha? Tempestade: Planeta em Fúria, comédia nacional e filme novo dos diretores de Pequena Miss Sunshine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.