Em recente entrevista para a revista GQ, Pharrell Williams disse que sente vergonha do hit Blurred Lines. Pharrel se justificou contando que nasceu em uma “outra época” e que muitas coisas com as quais ele cresceu não fazem mais sentido agora. Ele ainda disse que jamais escreveria ou cantaria uma música assim atualmente por seu teor machista.

“Eu me sinto envergonhando por algumas coisas [da música]. Eu levei muito tempo e amadureci para chegar a esse ponto”

“Não entendi a princípio. (…) Liricamente, eu estava tipo, ‘Do que você está falando?’ Há mulheres que realmente gostam da música e se conectam à energia que apenas desperta em você. E ‘eu sei que você quer’ – as mulheres cantam esse tipo de letra o tempo todo. Então, é como, ‘O que é isso?'”

“Então, eu percebi que há homens que usam esse mesmo tipo de linguagem para levar vantagem com as mulheres.”

“Minha mente se abriu para o que realmente estava sendo dito na música e como isso poderia fazer alguém se sentir”

“Embora não fosse a maioria [das pessoas que pensava assim], isso não importava. Eu também me importava com o que elas estavam sentindo. Percebi que vivíamos em uma cultura chauvinista em nosso país. Não percebi. isso [antes]. Não percebi que algumas das minhas músicas se encaixavam nisso.”

A faixa Blurred Lines fez enorme sucesso em 2013, quando inclusive o verso “I know you want it” foi discutido como linguagem sexualmente agressiva, em livre tradução “eu sei que você quer” . Em 2014, Pharrell até mesmo defendeu a música:

“Versos como: ‘eu sei que você quer’ já foram cantados por diversas mulheres antes e aposto que ninguém entendeu que elas faziam algo forçado com os homens.”

Entre outros versos da faixa:

Por falar em ser bombardeada/Odeio essa linha tênue/Eu sei que você quer/Mas você é uma boa menina/A forma como você me agarra/Deve querer fazer besteira/ (…) Você é a vadia mais bonita deste lugar.

Também na época, quando perguntaram a  Thicke se ele achava a letra degradante, o cantor respondeu:

“Claro que é. É um prazer degradar mulheres. Nunca pude fazer isso. Sempre as respeitei”

A faixa também se envolveu em outra polêmica: acusação de violação de direitos autorais, que levou à condenação dos envolvidos que tiveram que pagar cinco milhões de dólares à família de Marvin Gaye (pela canção ‘Got To Give It Up‘, de 1977).

Homem deve perdoar traição? Patrícia Abravanel responde Diretora-geral do FMI estreia falando de igualdade de gênero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.