Sempre falamos aqui da mudança na forma como as pessoas ouvem música, e principalmente da crescente importância de serviços de streaming tanto para quem consome, como para quem produz. Pensando nisso, e como forma de demostrar como o Spotify pode ser relevante, principalmente para anunciantes, a empresa se juntou com a empresa de pesquisa TNS Global,  para apurar o alcance e a qualidade da versão gratuita do Spotify Free no mundo.

No Brasil, foram mais de 2.000 ouvintes de música, com idades entre 15 e 65 anos. Entre os resultados, dados que ajudam a entender as principais diferenças entre o usuário do Spotify e o ouvinte de rádio.

De acordo com a pesquisa, o Spotify Free é o serviço de streaming com maior alcance semanal no Brasil, estando a frente do Deezer ( em sua versão gratuita) , SoundCloud, Rdio e Last FM. Se considerássemos o Spotify como uma emissora de rádio,  seria a quinta maior de São Paulo em termos de alcance semanal. A Jovem Pan é a primeira <3

Entre as diferenças no hábito de se ouvir rádio e streaming estão algumas situações· Os usuários do Spotify curtem suas listas enquanto navegam na internet, estudam, relaxam, fazem atividade física e dirigem,  enquanto os ouvintes de rádio  escutariam seus canais principalmente enquanto dirigem. O Spotify também conseguiu qualificar sua audiência, diagnosticando que seus usuários são mais propensos a serem influenciadores sociais, sendo geralmente mais jovens do que os ouvintes de rádio, bem instruídos e com uma renda familiar estável.

spotify

É bem interessante se observar, que as rádios que hoje já migraram para multiplataforma, ganharam um outro tipo de ouvinte/espectador. É o que acontece com o Jovem Pan Morning Show, por exemplo. O programa pode ser ouvido no rádio do carro, no caso de ouvintes tradicionais, ou também gerado por aplicativos para outras situações. Além disso, tem transmissão de imagem gerando audiência e engajamento através do live do YouTube. O streaming tem a vantagem de ser on demand, mas o podcast é a ferramenta da rádio para também disponibilizar seu conteúdo aos que preferem organizar seu tempo para ouvir sobre determinado assunto. Tudo isso implica em uma medição de audiência completamente diferente.

O próprio conteúdo para rádio vem se alterando. A Jovem Pan, citada na pesquisa como a rádio de maior alcance semanal em São Paulo,  vem conquistando a audiência com programas construídos por comunicadores de impacto, jornalismo e entretenimento. A programação sinaliza o ajuste da rádio ao movimento natural das próximas gerações de talvez procurar música em outras plataformas, mas seguir ouvinte da rádio que elas se identificam exatamente pelo time de comunicadores que ele encontra ali. Na Jovem Pan, as maiores audiências são de programas jornalísticos, tanto em AM como em FM ( Jornal da Manhã, Morning Show e Pingos Nos Ís) . 

A mesma pesquisa, chamada de The New Audio terá mais resultados divulgados para a América do Norte e América do Sul. Para mim, o principal desafio dos serviços de streaming não é se provar como o canal por onde os jovens vão ouvir música. Isso já me parece uma certeza. Acredito que aos poucos os laços com anunciantes devam se fortalecer. O que eles deveriam enfrentar, e rapidamente, é a questão da remuneração dos artistas. Muitos deles ativistas em denunciar o repasse que consideram injustos. Está aí o calcanhar de Aquiles, exatamente na distribuição do pão.    

Galera escolhe o elenco da série do Padilha sobre a Lava Jato O sucesso de Mogli - O Menino Lobo