O timing parece perfeito, já que a falta de indicados negros ao Oscar tem provocado discussões sobre a questão. A sequência de White Privilege I, lançada em 2005, começa numa porrada verbal. Confira:

No site onde a canção está hospedada é dito:

Esta canção é o resultado de um diálogo permanente com músicos , ativistas e professores dentro de nossa comunidade em Seattle e além. Seu trabalho e engajamento foram essenciais para o processo criativo.

Tem mais! Um textão que explica:

Como uma empresa ( LLC), estamos comprometidos com um investimento a longo prazo do nosso tempo, recursos, finanças e capacidades criativas no sentido de apoiar educação e discursos anti-racista.

Inicialmente somos parceiros de quatro organizações e coletivos, cujos trabalhos nos inspiram e nos informam. Black Lives Matter, People’s Institute for Survival and Beyond, Youth Undoing Institutional Racism & Freedom School e Black Youth Project 100

Em diálogos com os nossos parceiros comunitários e conselheiros, continuaremos a encontrar formas em que podemos alavancar nossa plataforma e rede no sentido de reforçar o trabalho dos organizadores e iniciativas enquadradas por eqüidade racial e social genuína. Reconhecemos que não há respostas fáceis, qualquer peça de legislação, ou uma solução rápida para desfazer o racismo institucional no nosso país. Queremos apoiar a organização direta e ser guiado pelo conhecimento e experiência das pessoas na linha de frente à medida que prosseguimos.

Entre os versos do rap, Macklemore lembra que não é o primeiro branco a se apropriar da cultura negra. Elenca Elvis Presley, Miley Cyrus e Iggy Azalea. E fecha com os vocais de Jamila Woods:

Your silence is a luxury, hip-hop is not a luxury

Algo como: Seu silêncio é um luxo, o hip-hop não é um luxo.

“White PrivilegeII” faz parte do álbum “This Unruly Mess I’ve Made”, que deve ser lançado em 26 de fevereiro. é o terceiro single divulgado, depois de  “Growing Up (Sloane’s Song)”, que tem participação de Ed Sheran, e do single “Downtown”.

A próxima super série: American Crime Story. Penny Dreadful: Atrasada, mas apaixonada por Eva Green

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.