A categoria e Melhor Direção é a que menos contempla a diversidade em relação à homens e mulheres. Isso já foi uma obervação em diversas edições do Oscar, e resulta num menor número de mulheres premiadas e reconhecidas. Até o ano passado, em 90 anos da premiação do Oscar apenas cinco mulheres foram indicadas ao prêmio. Somente em 2010 uma mulher levou a estatueta para casa: Kathryn Bigelow, por Guerra ao Terror. Foi a única, até hoje.

A última garota a ser indicada na categoria de Melhor Direção foi Greta Gerwig, por Lady Bird: A Hora de Voar, no Oscar 2018. Apenas no ano passado tivemos uma mulher indicada na categoria direção de fotografia. Rachel Morrison, por Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississippi. Pelo mesmo filme, Dee Rees, diretora e roteirista, se tornou a primeira mulher negra a disputar o Oscar de melhor roteiro adaptado.

O Festival de Cannes também só tem uma mulher diretora que foi reconhecida com a Palma de OuroJane Campion, por O Piano, em 1993. Mesmo no ano passado, quando Cate Blanchett presidiu o júri, composto por maioria feminina, o Festival contou com apenas três filmes assinados por mulheres, entre 21 que concorreram à Palma de Ouro.

Com início em fevereiro, o Festival de Berlim buscou avançar no tema de igualdade de gênero e anunciou que sete dos dezessete filmes que concorrem ao Urso de Ouro 2019 são dirigidos por mulheres. Dieter Kosslick, presidente do Festival ainda não está satisfeito com a taxa de 41% de candidatas na categoria, a ideia  inicial era preencher pelo menos a metade da lista com diretoras, fechando assim seu último ano à frente do evento. Algumas das diretoras são:

A dinamarquesa Lone Scherfig é uma das diretoras escolhidas. Ela já venceu um Urso de Prata no Festival de Berlim, na categoria Prêmio do Júri em 2001, com Italiano para Principiantes, que é o filme escandinavo de maior bilheteria até hoje. Também é dela Educação (2009), que estreou na Berlinale Special e depois emplacou três indicações no Oscar, nas categorias de Melhor Filme, Melhor Atriz (Carey Mulligan) e Melhor Roteiro Adaptado. É Scherfig a diretora do filme de abertura do festival, The Kindness Of Strangers, descrito como um conto de fadas moderno. 

 

 

You: um louco obsessivo que se diz apaixonado Felipe Neto e a conversa com o pai de MC Melody

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.