O mais triste de toda essa história que eu contar pra vocês é que 1.000 foram as vítimas identificadas, mas estima-se que o número real (entre casos que se perderam ou não foram relatados) seja ainda maior.

As informações estão num relatório do grande juri, órgão que determina se há evidências suficientes para prosseguir com uma acusação, e divulgado pelo promotor geral do Estado da Pensilvânia. Josh Shapiro reafirmou o que já se desconfia e também foi denunciado por exemplo em Boston, em episódio dramatizado pelo filme Spotlight*. Altos servidores da igreja, tanto da Pensilvânia, quanto do Vaticano acobertaram sistematicamente as agressões cometidas por 300 sacerdotes que abusaram de crianças, meninos e meninas, nas últimas sete décadas.

“O foco não era ajudar as crianças, mas evitar o escândalo.”

Este acobertamento impede inclusive que a maioria dos casos de abusos possam ser julgados, pois os casos são muito antigos. Este documento divulgado, soma 1.400 páginas resultando de 18 meses de investigações, que descrevem o comportamento desses padres abusadores de seis das oito dioceses do Estado, desde 1947. Lembrem-se que as outras duas dioceses já forma investigadas contando com denúncias parecidas em relação ao clero e bispo.

“Alguns foram manipulados com álcool ou pornografia. Alguns foram obrigados a masturbar seus agressores, ou tiveram seus órgãos genitais tocados por eles. Alguns foram violados oralmente, alguns pela vagina ou pelo ânus”

Vejam até onde ia a perversidade! Alguns padres entregavam cruzes de ouro às crianças abusadas para as destacar das demais. Uma das crianças abusadas chegou a engravidar. Existe por exemplo, a confissão de um sacerdote ao bispo, em que ele revela ter violado ao menos 15 crianças, uma delas de sete anos de idade. A resposta do líder religioso é felicitar o sacerdote por ser uma pessoa “sincera” e por conseguir “avançar em seu vício”. Também foi verificado pelas investigação que líderes da igreja desencorajavam as vítimas de denunciar os crimes.

A divulgação do relatório acontece semanas após Theodore McCarrick, um arcebispo de Washington de 88 anos, renunciar como cardeal. Ele que foi acusado de abusar sexualmente de crianças e adultos desde o início de sua vida religiosa. Bispos em Boston e Nebraska estão investigando possíveis casos de abuso sexual em seminários católicos. Na Austrália, um bispo foi considerado culpado de encobrir abuso sexual. No Chile, o Papa foi forçado admitir a falta de severidade perante ao escândalo de abuso envolvendo um padre, e bispos acusados ​​de encobrir seus crimes.

*Spotlight

Em Boston, no ano de 2002, o jornal The Boston Glove publicou uma investigação na qual apareciam 87 sacerdotes que haviam cometido abusos nos últimos 30 anos. A reportagem, que inspirou o filme que ganhador do Oscar de melhor filme em 2016. A reportagem desencadeou uma onda de casos silenciados e ignorados não só em Boston, mas em todo os Estados Unidos.

 

 

 

Lennon e McCartney juntinhos? VOCÊ INDICA, EU COMENTO: Peaky Blinders

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.