Começando pelo filme que chama atenção pelo elenco estrelar e pela direção. Mãe! conta com trailer perturbador, Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Ed Harris e Michelle Pfeiffer no elenco. O diretor é Darren Aronofsky mesmo dos ótimos Réquiem para um Sonho, O Lutador e Cisne Negro. 

Na história temos uma casa decadente que abriga um casal. A mulher é a personagem de Jennifer Lawrence, que além de se dedicar ao marido, também restaura o imóvel. O homem, vivido por Javier Bardem é um escritor em crise criativa, teoricamente isolado para encontrar inspiração… Até que recebe a visita de um fã, Ed Harris, e o convida para passar a noite. E depois chega Michelle Pfeiffer, e outros… Assim, o trailer nos dá pistas de um horror psicológico, mas parece que tem um lance filosófico e alegórico em tudo isso. Mãe! é daqueles filmes que você vai ter que ver pra entender, ou não.

O Sequestro trás a história de uma outra mãe, essa interpretada por Halle Berry e que tem seu filho sequestrado. O trailer explica um pouco desse início da trama, e a gente percebe que depois que levam o garoto, arrastado para dentro de um carro azul, a mãe foca em recuperar seu filho a qualquer custo. A Trama não tem nada a ver, mas o clima de suspense transmitido pelo trailer me fez lembrar um outro filme de Halle Berry, Chamada de Emergência… Acho que é porque nele,  Halle Berry também oscila entre o desespero e a ação, para solucionar ( no caso deste outro filme) o caso de um homem que sequestra e assassina mulheres.

Fechando com um nacional? Divórcio conta a história de Júlio (Murilo Benício) e Noeli (Camila Morgado), um casal rico do interior paulista que ao se separar iniciará uma guerra judicial por seus bens. Noeli é roubada do altar por Júlio, e mesmo levando uma vida humilde, encontram uma forma de enriquecer quando lançam um molho de tomate. Com o casamento desgastado somado a um mal entendido aqui e ali, o odinho cresce e culmina nessa separação, na qual cada um vai querer o que considera ser seu por direito. Só pelas imagens do trailer dá pra sacar que tem um ótimo trabalho de direção de arte, e que todos ingredientes estão lá, sertanejo universitário, casa em condomínio, o fato de todo mundo se conhecer no interior e aquele humor de situação com pitadas de absurdo. O diretor é Pedro Amorim, mesmo de Mato Sem Cachorro .

 

 

Shakira cantando The Cranberries é a melhor coisa que você vai ver hoje na internet Sim, teremos Foo Fighters e Queens of the Stone Age

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.