Teve. Kanye West se apresentou no programa Saturday Night Live, e depois disso, aproveitou o buzz nas redes sociais para mais um discurso a favor de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos.

Usando o boné de campanha do Trump, que diz “Make America Great Again” (Faça América Grande de Novo) escreveu:

“Isso representa o bem e a América se tornando plena novamente. Não vamos mais terceirizar para outros países. Nós construímos fábricas aqui na América e criamos empregos. Vamos dar empregos para todos que forem livres de prisões enquanto abolimos a 13ª emenda. Mensagem enviada com amor”

Lembrem-se que a 13ª emenda é a que, adicionada à constituição dos Estados Unidos, aboliu a escravidão no país. Foi ai que deu ruim. Lana Del Rey disparou :

“Trump ter se tornado nosso presidente foi uma perda para o país, mas o seu apoio a ele é uma perda para a cultura. Eu só posso supor que você se relaciona com a personalidade dele em algum nível. Delírios do grandeza, questões extremas com o narcisismo – nenhuma das quais seria um ponto de discussão se não estivéssemos falando sobre o homem que lidera o nosso país. Se você acha certo apoiar alguém que acredita que é certo agarrar uma mulher pela buceta só porque ele é famoso, então você precisa de uma intervenção tanto quanto ele – algo que muitos narcisistas nunca conseguirão, porque simplesmente não há ajuda suficiente para ajudar nesta questão. Mensagem enviada com preocupação que nunca será endereçada”.

Chris Evans, que interpreta o Capitão América, também não ficou feliz:

“Não há nada mais enlouquecedor do que debater com alguém que não conhece a história, que não lê livros, e enquadra sua miopia como virtude. O nível de conjectura sem desculpas que encontrei recentemente não é só frustrante, é retrocessivo, sem precedentes e absolutamente assustador”

Kanye resolveu então se explicar:

“A 13ª emenda é escravidão disfarçada, o que quer dizer que ela nunca acabou. Nós somos a solução que cura. Não abolir, mas, vamos emendar a 13ª emenda. Nós aplicamos as opiniões de todos à nossa plataforma”

Quem se lembra daquele episódio da entrevista ao TMZ, em maio? Ali ele disse:

“Quando ouvimos dizer que a escravatura durou 400 anos. Quatrocentos anos? Soa como uma escolha”

“É como se estivéssemos numa prisão mental. Gosto da palavra prisão porque escravatura relaciona-se diretamente com os negros. Escravatura está para os negros como o Holocausto para os judeus. Prisão é algo que une, negros e brancos.”

Foi se justificar? Sim, ele tentou.

“Precisamos ter discussões abertas e ideias em dor instável…Para ser claro: é claro que sei que escravos não foram algemados e colocados em um barco de vontade própria. Meu ponto é que para nós termos ficado naquela posição apesar dos números estarem do nosso lado significa que estávamos mentalmente escravizados”

Agora eu estou chamando o cara de Kanye, mas ele mudou de nome, gente. Agora se chamar apenas Ye, que é o título do seu álbum mais recente. E diz que vem novo trabalho por ai, chamado Yandhi.

A tragédia atinge a ilha de Célebes, na Indonésia Eduardo Bolsonaro e a resposta da ex

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.