A terceira edição da pesquisa Juventudes e Conexões, realizada pela Rede Conhecimento Social em parceria com o Ibope Inteligência, a pedido da Fundação Telefônica Vivo divulgou seus resultados. Os resultados trazem dados interessantes sobre a percepção do jovens que usam a internet: dois em cada três jovens acreditam que a internet aumenta a prática de bullying e amplia o isolamento. Para 57%, ela agrava quadros de ansiedade.

66% dos entrevistados acreditam que a internet aumenta o bullying, 65% dizem que tem impacto na exposição da intimidade e 60% afirmam que agrava a sensação de isolamento, mesmo que a principal atividade realizada na internet seja o uso de aplicativos para conversa instantânea e redes sociais. O aumento da vivência virtual e a falta do presencial foram também apontados, o que trás prejuízos nas relações sociais, pode causar irritabilidade, insônia, alterações na alimentação e depressão.

Em relação ao cyberbullying, a percepção é de que através do computador, as pessoas agridem mais, pelo sentimento de anonimato.

Existe lado bom? A pesquisa mostra que 30% dos jovens se sentem melhor em em relação a cabelo, corpo e sexualidade depois do contato com os conteúdos da internet. A tendência da difusão de outros padrões de beleza faz com que os jovens estão consigam se conectar com outras pessoas e movimentos com os quais se identificam.

Quer saber mais? A pesquisa está publicada em detalhes no Estado de São Paulo.

Donas de gráfica ganham ação que as obrigava a fazer convite de casamento gay Bolsonaro assina proposta que responsabiliza agressor por valores gastos com tratamentos médicos de vítimas de violência doméstica

One thought on “Jovens: o lado sombrio e o bom da web”

  1. Farlley Ramalho

    Essa é um assunto muito complicado. Na minha opinião a depressão não é frescura como muitos pensam, ela é uma doença grave que precisa ser tratada o mais rápido. Obrigado pelas informações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.