Está no Spotify o álbum póstumo de inéditas de Sabotage. O segundo álbum do rapper ( se desconsiderarmos Supervisionando a Sociedade, de 1997, que contava apenas com 4 faixas) leva o apelido de Mauro Mateus dos Santos, chama-se Sabotage e soma 11 faixas inéditas, sendo que apenas 3 delas estavam concluídas quando do assassinato do rapper paulistano, em 2003. O cara tinha 29 anos. Vários produtores e amigos envolvidos no trabalho, assim como no primeiro álbum lançado pelo Selo Instituto, de Daniel Ganjaman, Tejo Damasceno e Rica Amabis. O álbum soma inúmeras participação especiais, como B Negão, Céu, Funk Buia, Dexter, Rappin Hood, Negra Li, DBS e o convidado Shyheim, do Wu Tan Chan.

A direção musical vem assinada por Quincas Moreira, Tropkillaz, DJ Nuts, Mr. Bomba e Duani.

Fato legal: todos que participaram abriram mão dos direitos em favor da família de Sabotage: os filhos, Thamires e Wanderson, e a mulher, Maria Dalva, que vivem em São Paulo.

Uma faixa curiosa é Sai da Frente, que foi feita pra trilha o filme Carandiru (2003), de Hector Babenco. Uma das faixas é porrada. País da fome: Homens animais. Começa com uma repórter anunciando o assassinato do rapper…

Curiosidade sobre Sabotage:

O cara nasceu na Zona Sul de São Paulo, foi assaltante e gerente de tráfico, encontrou a saída no rap.

Participou de dois filmes para o cinema O Invasor e  Carandiru.

Em sua carreira, Sabotage fez um único disco solo:  Rap é Compromisso!

Morreu com 4 tiros, dados pelas costas em 24 de janeiro de 2003.

“Era manhã do dia 24 de janeiro de 2003, na altura do número 1800 da avenida Abrão de Morais, no bairro Saúde, perto de sua casa, Zona Sul de São Paulo, quando Sabotage levou sua mulher, Maria Dalva da Rocha Viana, ao ponto de ônibus. Na despedida, disse à esposa que iria para o Fórum Social Mundial de 2003, em Porto Alegre. Após entrar no carro, segundo testemunhas, foi abordado por um traficante que disparou quatro vezes. Sabotage foi atingido com dois tiros na coluna vertebral, enquanto os outros dois atingiram sua mandíbula e sua cabeça.”

 

Joanne Chuck Berry: 90 anos do ícone do rock

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.