As buscas da Polícia Civil de Goiás aconteceram em três endereços nesta terça. Na casa do médium foram apreendidas cinco armas e o equivalente a R$ 405 mil em dinheiro. A origem do armamento e do dinheiro será investigada.

A grana estava distribuída em malas e em um esconderijo de fundo falso de um armário. Além de reais, haviam dólares americanos e canadenses, pesos argentinos, euros e francos suíços. A delegada Karla Fernandes, que coordena a força-tarefa, acredita que esses recursos possam ser de doações de fiéis, quantia que não precisa ser declarada.

As armas, todas sem registro, estavam num baú, numa gaveta e numa caixa. Eram dois revólveres de calibre 32,  um 38, uma pistola 380 e uma garrucha com numeração raspada. Também forma encontradas munições, algumas de uso exclusivo do Exército, e uma arma de brinquedo. De acordo com o delegado-geral de Goiás, André Fernandes, o médium deve responder por posse ilegal de armas de fogo.

Na Casa Dom Inácio de Loyola, local dos atendimentos de João de Deus, e também cenário da descrição de abusos cometidos. Peritos do Instituto de Criminalística de Goiás usaram uma substância que serve para detectar material genético, como sangue e sêmen.

João de Deus está preso desde o domingo no núcleo de custódia de Aparecida de Goiânia. Nesta terça , a Justiça negou liminarmente seu pedido de libertação. Até a sexta, a Polícia Civil quer concluir o primeiro inquérito do caso João de Deus, no qual ele deve ser indiciado por posse sexual mediante fraude, com pena de até seis anos de reclusão em regime fechado, por suposto abuso de uma mulher que procurou atendimento em 24 de outubro.

 

Maldição? Ronaldo Ésper fala sobre sexualidade/religião Se beber Não Ceie, na Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.