Entre as mais de 300 denúncias contra João de Deus, a de sua própria filha. Em entrevista à revista VEJA, Dalva Teixeira, hoje com 49 anos, relatou situações terríveis passadas nas mãos de seu pai, João de Deus, desde que ela tinha 10 anos. Dalva é fruto de um relacionamento breve do médium e foi morar com João de Deus aos 9 anos, para prosseguir com seus estudos.

A Veja conta com o depoimento de Dalva Teixeira em gravação, e tem trechos que podem inclusive ser ouvidos no site da revista. Em um deles, a mulher conta como teria acontecido a primeira abordagem do pai. Ele pediu para que ela marcasse uma vela com a unha, depois, se trancou no quarto com a garota enquanto a madrasta estava na sala. Falou que teria que fazer um trabalho espiritual na garota que duraria o tempo da vela queimar e alcançar a marca feita por ela. O médium então, pediu para que ela se despisse, e teria começado a passar o pênis no corpo da garota. Quando avançou sobre ela, Dalva sentiu-se sufocada e teria começado a pedir que ele parasse, lutando e conseguindo escapar.

Os abusos seguiram acontecendo em casa, e em outras situações, como no carro, durante viagens.

“Aí, ele arrumou uma viagem para a Bahia. Fomos eu, meu pai e mais duas pessoas. Eu e meu pai fomos no banco de trás. Ele tirou minha calça e colocou o dedo na minha vagina. “

Aos 14 anos, a garota ficou grávida de um funcionário do pai, ao informa que sairia de casa para se casar recebeu um surra terrível, que a fez parar no hospital e perder o bebê.

A mulher conta que o trauma a fez procurar as drogas. Dependente, foi internada a força numa clinica psiquiátrica e chegou a perdeu a guarda dos filhos. Na internet, logo que a existência do processo foi detectada pela imprensa, viralizou um vídeo da defesa do médium em que a filha desmentia os abusos desmentindo afirmativas feita pelos filhos.  O vídeo, gravado há um ano e cinco meses foi divulgado na terça-feira, na página do Instagram de João de Deus.

Dalva Teixeira chegou a fazer a denúncia contra o pai em uma rádio de Goiás em 2016, mas a entrevista nunca foi ao ar. Em 2017, os filhos dela, Paulo e João Paulo, já maiores de idade, entraram com uma ação na Justiça contra João de Deus pedindo indenização por danos morais e pelo que a mãe sofreu. Foi quando João de Deus procurou a filha em uma clínica onde estava internada e disse que por causa do processo, a vida dos netos estava em risco. entendendo como ameaça, a filha teria então gravado este vídeo.

Nesta quarta, Dalva prestou depoimento de 4 horas ao Ministério Púbico de Goiás. Já são mais de 330 denúncias. Mesmo com o pedido do MP-GO para que a Justiça determinasse a prisão preventiva, para que ele seja detido, é preciso que um juiz aceite o pedido protocolado por promotores.

Caso João de Deus: pedido de prisão preventiva Homem de Ferro telefonar casa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.