A onda Harvey Weinstein virou um tsunami e quem telhado de vidro que se prepare. Depois de Anthony Rapp contar sua história com Kevin Spacey, mais 3 homens vieram a público revelando histórias com o astro de House os Cards. A produção da última temporada da série está cancelada. O ator mexicano Roberto Cavazos escreveu textão no Facebook em que relata a preferência de Spacey por caras com menos de 30 anos. Como diretor de um teatro em Londres, o veterano tinha o costume de se aproximar dos alvos proporcionando um pic nic fora do horário do expediente, ambientado com boa luz e champanhe, no palco do teatro.

O cineasta Tony Montana apresentou sua história ao site Radar. Contou que Spacey se aproximou dele em um bar, em Los Angeles, no ano de 2003.

“Eu fui ao bar pedir um drink e Kevin chegou em mim e me abraçou. Estava me dizendo para ir com ele, para outro lugar. Ele colocou a mão nas minhas partes íntimas e me apalpou”

Montana conta que se desvencilhou e foi até o banheiro, e acabou seguido por Spacey. Só conseguiu se desvencilhar quando amigos do intérprete de Frank Underwood chegaram.

A BBC publicou a história de um  homem que preferiu ficar anônimo contou que nos anos 1980, quando tinha 17 ano,  foi à Nova Iorque se hospedar na casa do ator, mas quando não quis dividir a cama com ele, e preferiu o sofá, se surpreendeu ao acordar com Spacey sobre ele e apenas de cueca.

Outra história que apareceu foi de um barman que, em 2010, que teve uma situação com Spacey na qual o ato lhe mostrou o pênis, e depois, numa tentativa de lhe comprar o silêncio, entregou como “pagamento” um relógio de alto valor.

Quem também parece ter lá seu telhado de vidro é o ator Dustin Hoffman. Acusado de assediar uma adolescente de 17 anos em 1985, durante a gravação de A morte de um caixeiro viajante, pelo qual o ator recebeu um Globo de Ouro. A denúncia feita por Anna Graham Hunter apareceu em texto no The Hollywood Reporter.

“Ele me pediu para fazer uma massagem nos seus pés no meu primeiro dia no set, eu fiz. Ele flertava comigo abertamente, apertava minha bunda, falava sobre sexo comigo e na minha frente. Numa manhã, fui até seu camarim para anotar o que ele queria no café da manhã. Ele olhou para mim e sorriu… Então, ele disse: ‘quero um ovo cozido… e um clitóris macio’. Todos que presenciaram riram.”

Anna diz que chegou a conversar com a supervisora de produção, que lhe pediu que agisse em sacrifício pelo filme.

“Ela disse que nos devíamos ter senso de humor e dar uma risadinha”

A garota narrava os acontecidos em cartas enviadas para a irmã, e trechos desses relatos estão no texto publicado. No fechamento dos acontecidos, ela pondera:

“Ninguém é 100% bom ou ruim. Dustin é um porco, mas eu gosto dele”.

Dustin Hoffman divulgou nota, publicada pelo Hollywood Reporter, pedindo desculpas:

“Tenho o maior respeito pelas mulheres e me sinto terrível por qualquer coisa que posso ter feito que a tenha colocado em uma situação desconfortável. Sinto muito. Isso não é um reflexo de quem sou.”

Um caso já muito discutido, inclusive quando o ator ganhou, no ano passado, o Oscar de melhor ator por Manchester a Beira Mar, é o das acusações contra Casey Affleck. Duas mulheres que trabalharam com o ator durante as filmagens do documentário I’m Still Here, em 2010 relataram acontecimentos que foram de conhecimento público, inclusive durante a campanha do ator pela estatueta.

Assim, o cineasta Cameron Bossert lançou um abaixo assinado virtual para impedir a participação do ator Casey Affleck na cerimônia do Oscar 2018. A presença seria dada como certa já que o vencedor da categoria Melhor Ator do ano anterior, apresenta o prêmio de Melhor Atriz do ano seguinte.

“Após a revelação de que Harvey Weinstein assediou mulheres por décadas, a Academia votou para retirar sua afiliação. Mas você sabia que outro acusado de assédio sexual foi convidado para participar da cerimônia em 2018?”

Brett Ratner, diretor de A Hora do Rush (1998) e X-Men: O Confronto Final (2006) também foi acusado de má conduta sexual pelas atrizes Natasha Henstridge e Olivia Munn, e por mias 4 outras atrizes. O Los Angeles Times detalha os relatos. O advogado de Ratner negou as acusações.

O cineasta James Toback também está na mira de investigações da polícia de Beverly Hills. Até o fim do mês passado, foram 300 denúncias contra ele, que narram episódios parecidos em que o cineasta enganava mulheres sob o pretexto de conseguir encaixá-las no mercado cinematográfico. As atrizes Selma Blair e Rachel McAdams também revelaram à Vanity Fair que foram assediadas por ele. Toback nega conhecer muitas dessas mulheres e ter tido contato sexual não consensual com qualquer uma delas.

As novidades para os assinantes da TV paga em 2018 Steven Seagal assediou a atriz Julianna Margulies

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.