Ainda existe. E a coroa de “mulher mais bonita do mundo” será entregue em 16 de dezembro, na 67ª edição do evento, que acontece em Bangkok. Desde 2012, o concurso não pertence mais à Donald Trump, que proibia a inscrição de mulheres transgênero. Agora, vejam só, na edição deste ano,  a favorita de acordo com pelo menso um bancos de aposta para vencer o Miss Universo é exatamente a primeira transgênero a concorrer, a espanhola Ângela Ponce. 

Em entrevista à revista Time, Ângela falou da felicidade em ter a possibilidade de participar do concurso:

“Mulheres trans tem sido perseguidas e apagadas há tanto tempo. Se me derem a coroa, mostrarão às mulheres trans que elas são tão mulheres quanto as mulheres cis”

Aqui no Brasil, o concurso Miss Universo será transmitido pela TNT no próximo dia 16 de dezembro (domingo), a partir das 22h. A transmissão brasileira será apresentada por Karol Pinheiro e Natalia Guimarães.

Serão mais de 90 mulheres, representando seus países, e uma será escolhida para suceder Demi-Leigh Nel-Peters, a sul-africana vencedora da edição de 2017. A representante brasileira é Mayra Dias, de Manaus.

Quando venceu a coroa de Miss Espanha, Ponce falou sobre sua mudança de gênero, e disse que querer “levar uma mensagem de inclusão, tolerância, respeito e amor”.

Cineminha? Temos opção meio This Is Us, um nacional sobre conflito de geração e um filme teen sobre racismo O apresentador do Oscar era Kevin Hart.

2 thoughts on “E o Miss Universo?”

  1. Joahbe Chavez

    Vcs tao falando somente da Ângela Ponce!!!! Existe uma outra TRANS no Certame. Vejam. E COM CERTEZA A ESPANHA NÃO SERÁ A MISS UNIVERSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.