Hoje foi divulgado que um ex-mergulhador da Marinha tailandesa, que participava do resgate dos meninos, morreu na quinta-feira. Saman Kunan, de 38 anos, levou suprimentos para o grupo de 13 pessoas, mas ficou sem oxigênio quando retornava para a entrada da caverna Tham Luang. O ex-integrante do grupo de elite da Marinha era voluntariado na operação de resgate.

A questão é que mesmo mergulhadores experientes podem enfrentar problema para cumprir as 11 horas necessárias para ir e voltar à caverna. A quantidade de oxigênio necessária também é grande.

12 meninos e um adulto estão presos nesta caverna, da Tailândia. Foram se proteger de uma chuva e acabaram presos. As crianças tem entre 11 e 16 anos, e o técnico, tem 25 anos. Alguns não sabem nadar.

O resgate propõe que todos aprendam noções básicas de mergulho. O que pesa contra é que é realmente difícil mergulhar ali, com visibilidade complicada, ansiedade e não estando também debilitados fisicamente. Eles ficaram presos desde 23 de junho, encontrados e assistidos apenas após nove dias de buscas, quando receberam alimentos e medicamentos.

Hoje, o nível de oxigênio na câmara onde estão caiu, está em 15%, quando o nível normal seria de 21%. Os socorristas estão levando oxigênio ao local e água está sendo bombeada para fora da caverna, o que ajudaria a diminuir o nível da água, mas não esgotaria os trechos em que teriam que mergulhar, em água lamacenta, e sem experiência nenhuma. Os que já estão aptos, estão tendo aulas de mergulho desde quarta feira

A ideia é tirar primeiro os jovens em melhores condições físicas e psicológicas. Ao que foi informado, três deles – o técnico e dois meninos- não tem condições de deixar a caverna de imediato.

Toda sorte. Que dê certo.

Scarlett Johansson: novo filme e grande polêmica Irlanda passando a Constituição a limpo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.