Mais uma entrevista com Angelina Jolie que mira no novo trabalho, como diretora de First They Killed My Father, que se passa no Camboja. Mas acerta na vida pessoal.

Pra dizer que não falei sobre o filme. A produção parte de um fato real, o genocídio cometido pelo regime que ficou conhecido como Khmer Vermelho, visto pelos  olhos de uma criança. Baseado no livro de memórias First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers, da ativista de direitos humanos Loung Ung, o filme é mais uma investida da Netflix .

Em entrevista dada ao Canal BBC, a diretora explicou que com o filme, espera ajudar os cambojanos a falar mais abertamente sobre o trauma do massacre de dois milhões de pessoas.

Lembrando que a relação de Jolie com o Camboja começou em 2001, quando filmou por lá Lara Croft: Tomb Raider. Foi também no Camboja que a atriz adotou Maddox, seu filho mais velho.

E claro que a curiosidade cai mesmo em saber como é que a atriz tem lidado com a separação do ex igualmente famoso Brad Pitt. Agora morando numa casa nova, com seus 6 filhos, em uma residência que custou cerca de U$ 25 milhões de dólares, e de cara, apresentando o novo lar revela que decorar sempre foi uma função do Brad Pitt.

Ainda negociando os termos do divórcio, o casal que ficou junto por 12 anos tem se manifestado a conta gotas. Ela já falou brevemente sobre isso para a BBC, Brad se aprofundou e assumiu a culpa e o alcoolismo para a GQ. Sobre como tem levado a vida de mãe solteira, Angelina disse:

“Tem sido dos momentos mais difíceis, e nós estamos apenas tentando vir à tona para respirar. [Esta casa] é um grande salto para nós, e todos  estamos tentando fazer o nosso melhor para curar nossa família. “

Sobre sua relação com o ex, ela vai de encontro com o que ele mesmo disse anteriormente:

“Nós nos importamos uns dos outros e com a nossa família, e estamos trabalhando para o mesmo objetivo. “

Na narrativa em que a atriz e diretora conta o processo para conceber seu novo filme, ela também relata quando a relação com o ex-marido desandou. No verão de 2016. Na entrevista ela chega a dizer que foi quando as coisas ficaram ruins, mas depois corrige para difíceis, recuando ainda mais na explicação de que o estilo de vida dos dois nunca foi um problema. Acontece que boatos diziam que Brad Pitt procurava uma vida mais caseira enquanto Angelina estava sempre em suas viagens e batalhas filantrópicas. A atriz negou:

“[Nosso estilo de vida] não era de forma alguma uma negativa. Isso não era o problema. Isso é e continuará a ser uma maravilhosa oportunidade que somos capazes de dar aos nossos filhos. . . São seis indivíduos muito forte de espírito, pensantes do mundo. Estou muito orgulhosa deles. “

Angelina também explicou que seus filhos tiveram sim que ser fortes em muitos momentos, e que hoje estão se curando não do divórcio, mas da adversidades da vida. sobre o seu sofrimento, ponderou:

“Eu estava sempre muito preocupada com a minha mãe quando eu estava crescendo. Muito. Eu não quero que as minhas crianças se preocupem comigo. Eu acho que é muito importante chorar no chuveiro e não na frente deles. Eles tem que saber que tudo vai dar certo mesmo quando a gente não sabe se vai.”

Sobre ser um símbolo sexual, ao mesmo tempo que lida com os sintomas da menopausa, Angelina Jolie explica:

 “Na verdade eu me sinto mais mulher porque eu sinto que estou sendo esperta em relação às minhas escolhas. Estou colocando minha família primeiro lugar e estou no controle da minha vida e da minha saúde. Acha que é isso que faz um mulher completa.”

Cineminha? Elogiado de Christopher Nolan, filme queridinho dos xxxovens e um terror pra deixar de lado VOCÊ INDICA, EU COMENTO: GLOW

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.