STAR WARS 8: Os últimos Jedi chega aos cinemas ovacionado pelos críticos e com notas altíssimas nos sites de avaliação. Alguns, como eu, não queriam falar muito sobre o assunto. Sim, eu estava com medinho. Medinho de dar errado. Mas passou, e agora eu só quero ver esse filme que chega Às salas de cinema hoje. Partimos do que aconteceu no final do ótimo episódio 7, quando conhecemos nossos novos protagonistas. Rey, a carismática Daisy Ridley encontra o mítico e recluso Luke Skywalker (Mark Hammil) em uma ilha isolada, e ali ela deve finalmente aprender a controlar a Força, com o help do mestre jedi. Temos também nosso vilão, Kylo Ren (Adam Driver) que reorganiza o Primeiro Império  para enfrentar a Aliança Rebelde. O filme conta ainda com a atuação da falecida Carrie Fisher, como a princesa Leia. Também estão no elenco Benicio Del Toro e Laura Dern. Diz que quanto menso você souber sobre o filme, mais vai curtir!

E pode aguardar que teremos muito mais de star Wars nessa vida. A Disney já anunciou uma série de TV do universo Star Wars e que deverá estrear junto com o serviço de streaming da empresa, em 2019. Além de uma nova trilogia, a encargo do diretor Rian Johnson, mesmo de Os Últimos Jedi. Esses novos filmes contarão uma história independente da família Skywalker e que se passará em uma galáxia diferente, e com personagens novos.

Ano que vem, teremos também um filme sobre Han Solo, em 2019 o episódio 9 da saga com direção de Colin Trevorrow (Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros, em 2020 um filme sobre Boba Fett ,

Destaco também para vocês uma estreia bem interessante, mesmo porque muita gente se encantou com Mulher Maravilha esse ano, não é mesmo. Pois Professor Marston & As Mulheres-Maravilhas chega às salas brasileiras com a história da vida de William Moulton Marston, um professor de psicologia que escreveu as primeiras aventuras da personagem em 1941.

Não espere um filme de ação, mas o drama de um homem que no final da década de 1920, vivia com duas mulheres: Elisabeth Marston, com quem era casado, e Olive Byrne, sua amante. Forma essas as musas inspiradoras para a criação da heroína. Além do relacionamento a três, aqui também trata-se da bissexualidade de ambas as mulheres. E ao contrário do que o fetiche masculino possa imaginar, é a paixão da garota pela esposa do professor que faz o trio se concretizar o trio.

Muito interessante descobrir em que situação nasceu a heroína, como o autor pensou em suas roupas, e até no laço mágico da verdade. São passagens muito interessantes, levadas para o cinema pela diretora Angela Robinson. Luke Evans é Marston, e temos também no elenco Bella Heathcote e Rebecca Hall.

Também chega os cinemas nesta quinta o filme Cora Coralina, de Renato Barbieri. Na tela cinza, a história da escritora goiana pontuada pela leitura de sua obra. Cora, que publicou seu primeiro livro aos 75 anos de idade é lida por várias atrizes,  Zezé Motta, Beth Goulart, Camila Márdila , Teresa Seiblitz, Walderez de Barros e Maju Souza, algumas delas interpretam a autora em reconstituições. Somado a isso, temos especialistas falando sobre o estilo da escrita , amigos narrando episódios pessoais e até imagens da própria autora.

Salma Hayek conta sua história de terror. Seu monstro? Harvey Weinstein Tudo que você tem que saber ( inclusive para rir) sobre a compra da Fox pela Disney

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.