“Lembro que ela tentou me chutar, e daí eu realmente acertei ela, com o punho fechado, dei um soco. Acertei o seu lábio. Quando eu vi, entrei em choque. Fiquei me perguntando por que raios havia batido nela. Depois disso, ela apenas cuspiu na minha cara, cuspiu sangue na minha cara e isso me enfureceu ainda mais.”

O documentário Chris Brown – Welcome to My Life teve trecho liberado essa semana. E sabe que talvez com um dos momentos mias terríveis da trajetória do cara, exatamente quando ele conheceu Rihanna, namorou e agrediu a cantora. Chris diz que o casal passou a se desentender quando Riri perdeu a confiança nele, por não ter contado sobre uma relação anterior que el havia tido com uma garota com que trabalhava.

“Depois do que aconteceu, ela me odiava. Eu tentei de tudo, mas ela não confiava em mim. Tudo piorou a partir daí. Eram brigas verbais que se tornaram brigas físicas, dos dois lados. Eu ainda a amo, mas eu vou ser honesto. Nós brigávamos, ela me batia, eu batia nela, nunca foi tudo bem. Quando eu subia no palco, eu tinha arranhões no meu rosto e falava que havia caído. Se você tem um machucado ou hematoma, você põe maquiagem”

Depois disso, quando uma ex apareceu em uma festa pós Grammy´s, o casal discutiu no carro do cantor e ali foi que ele deu um murro na cara dela, no episódio que ficou publicamente conhecido.

Sempre bom lembrar que Chris saiu livre do crime de agressão. No vídeo do documentário ele diz que se sentia como um monstro.

“Eu pensava em suicídio e tudo mais. Eu não dormia e nem comia. Só me drogava”,

Em 2012, no pós agressão, o casal se reconciliou e namorou  por poucos meses, antes de romperem definitivamente em 2013. sobre isso, Rihanna declarou à Vanity Fair:

“Eu era muito protetora dele. Eu sentia que as pessoas não entendiam ele. Mesmo após [a agressão]… mas sabe, depois de um tempo naquela situação você percebe que você é o inimigo. Se você suporta o que está acontecendo, talvez esteja aceitando que merece esse tipo de coisa, e foi aí que eu finalmente tive que dizer ‘fui estúpida em pensar que poderia aguentar isso”. 

“Está no passado, mas eu não quero dizer ‘superei isto’ pois é uma coisa muito séria que ainda é relevante; ainda é uma realidade. Muitas mulheres, garotas, ainda estão passando por isto. Muitos garotos também. Não é o tipo de assunto que você varre para debaixo do tapete”. 

O documentário ainda não tem data para ser estrear, e conta com depoimentos de vários artistas, amigos de Chris Brown, como Usher, Jamie Foxx, Mike Tyson, Mary J. Blige, além da mãe de Chris, Joyce Hawkins.

 

Emma Stone é a atriz mais bem paga do mundo Os Defensores: Netflix finalmente acertou a mão no segmento série de herói

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.