Eis que no começo desta semana, na segunda feira, o rapper Chris Brown, um amigo e o guarda-costas foram detidos, em Paris, após uma denúncia de estupro. Uma mulher de 24 anos alegar ter sido estuprada na suíte de hotel em que Brown estava hospedado na noite de 15 de janeiro. O TMZ contou que a versão da garota sobre os fatos é a seguinte:

“Ela disse aos policiais que Chris a estuprou em seu camarim da suíte do hotel por algo entre 25 e 30 minutos. Ela diz que entrou em outro quarto e foi estuprada novamente, desta vez por um dos amigos de Brown. E então, ela disse que foi “abusada” pela terceira vez em outra sala. A polícia acredita que a história tem furos e questiona porque ela nunca tentou deixar o local ou alertar qualquer das 20 pessoas que estavam na sala de estar.”

Chris Brown foi solto na terça-feira, e logo tratou de ir para as rede sociais. Em seu post xingou a mulher ” Essa vadia está mentindo” :

“Quero deixar perfeitamente claro. Isto é falso e é um monte de baboseira. Nunca! Para minha filha e minha família, isto é tão desrespeitoso e contra meu caráter e minha moral”

Depois, o rapper apagou a publicação. Não é a primeira vez que o rapper usa essa frase ” Essa puta está mentindo” para se defender de acusações. Em 2016, acusado de agredir a modelo Baylee Curran, ele usou a mesma expressão e então lançou a primeira versão da camiseta com a expressão. Agora, o rapper lançou a versão Paris da camiseta, com a frase sobre a imagem da Monalisa.

O rapper também entrou com um processo de difamação contra a menina que o denunciou.

Alguns artistas saíram em defesa de Brown, como o também rapper 50 cent:

“Eu acredito em você, Chris”

https://www.instagram.com/p/BtBpXFLHOpI/

Justin Bieber mostrou seu apoio de uma forma mais discreta, indo lá no feed e dizendo:

“Ninguém pode te tocar, você é o melhor “

A questão é delicada e está sendo investigada pela polícia francesa. É importante lembrar que o rapper tem uma lista de acusações bastante graves contra ele.

No ano passado o cantor foi fotografado em uma festa em Miami, “enforcando” uma mulher. A imagem ao lado foi publicada pelo TMZ. O cantor também foi processado por facilitar abuso sexual dentro de sua casa, em uma denúncia de uma mulher alegou que foi obrigada a ter relações sexuais com amigos do cantor, em uma festa regada a drogas e bebidas.

Tem mais. Em 2017, a ex namorada dele, Karrueche Tran, entrou com pedido de ordem restritiva contra ele. Ela contou que o cantor a agrediu e ameaçou matá-la. Eles ficaram juntos de 2011 e 2014. O cantor acusou a namorada de o ter traído com o rapper Drake. Manobrinha para se justificar? Como se qualquer coisa justificasse agressão. Tran pediu várias ordens de restrição, que foram desrespeitadas por Brown até que em 2017 foi decretado que o músico estava impedido de se aproximar da modelo por pelo menos 5 anos. Os relatos da garota falam de murros no estômago, empurrão de uma escada e ameaças de morte.

Em todos os casos, por meio de advogados, Chris Brown nega todas as acusações.

Agora, a história mais famosa que envolve o nome de Chris Brown aconteceu há dez anos, quando ele foi condenado por agredir Rihanna, a sentença determinou 180 dias de trabalho comunitário e cinco anos de liberdade condicional pela agressão.

RELEMBRE O CASO DA AGRESSÃO CONTRA RIHANNA

“Lembro que ela tentou me chutar, e daí eu realmente acertei ela, com o punho fechado, dei um soco. Acertei o seu lábio. Quando eu vi, entrei em choque. Fiquei me perguntando por que raios havia batido nela. Depois disso, ela apenas cuspiu na minha cara, cuspiu sangue na minha cara e isso me enfureceu ainda mais.”

É assim que o rapper descreve o episódio em seu documentário Chris Brown – Welcome to My Life. A narrativa é típica de agressores: Chris diz que o casal passou a se desentender quando Riri perdeu a confiança nele, por não ter contado sobre uma relação anterior que ele havia tido com uma garota com que trabalhava.

“Depois do que aconteceu, ela me odiava. Eu tentei de tudo, mas ela não confiava em mim. Tudo piorou a partir daí. Eram brigas verbais que se tornaram brigas físicas, dos dois lados. Eu ainda a amo, mas eu vou ser honesto. Nós brigávamos, ela me batia, eu batia nela, nunca foi tudo bem. Quando eu subia no palco, eu tinha arranhões no meu rosto e falava que havia caído. Se você tem um machucado ou hematoma, você põe maquiagem”

Depois disso, quando uma ex apareceu em uma festa pós Grammy´s, o casal discutiu no carro do cantor e ali foi que ele deu um murro na cara dela, no episódio que ficou publicamente conhecido.

 

Em 2012, no pós agressão, o casal se reconciliou e namorou  por poucos meses, antes de romperem definitivamente em 2013. Sobre isso, Rihanna declarou à Vanity Fair:

“Eu era muito protetora dele. Eu sentia que as pessoas não entendiam ele. Mesmo após [a agressão]… mas sabe, depois de um tempo naquela situação você percebe que você é o inimigo. Se você suporta o que está acontecendo, talvez esteja aceitando que merece esse tipo de coisa, e foi aí que eu finalmente tive que dizer ‘fui estúpida em pensar que poderia aguentar isso”. 

“Está no passado, mas eu não quero dizer ‘superei isto’ pois é uma coisa muito séria que ainda é relevante; ainda é uma realidade. Muitas mulheres, garotas, ainda estão passando por isto. Muitos garotos também. Não é o tipo de assunto que você varre para debaixo do tapete”. 

Cineminha? Dois filmes indicados ao Oscar, Kéfera e a continuação de Creed Para os holandeses, não Damares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.