Na saída do Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a ministra Damares Alves na questão da abstinência sexual como política pública contra a gravidez precoce. Bolsonaro criticou os que em suas palavras “esculhambam” Damares e exemplificou com a própria filha:

“Quando ela fala em abstinência sexual, esculhambam ela. Quem quer… Eu tenho uma filha de nove anos, você acha que eu quero minha filha grávida no ano que vem? Não tem cabimento isso aí. É essa a campanha que ela faz.”

Foi dentro desse contexto que o presidente afirmou que pessoas portadoras do vírus HIV, transmissor da Aids, são “uma despesa para todos no Brasil”. Bolsonaro estava falando sobre uma história contada pelo jornalista Alexandre Garcia:

“O próprio Alexandre Garcia, ele fala que a esposa dele, que é obstetra, atendeu uma mulher que começou com o primeiro filho com 12 anos de idade. Outro com 15, e no terceiro, que a esposa dele atendeu, ela já estava com HIV. Uma pessoa com HIV, além do problema sério para ela, é uma despesa para todos no Brasil — disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.”

Bolsonaro também culpou o PT:

“Essa liberdade que pregaram ao longo (do governo) do PT todo, que vale tudo, se glamoriza certos comportamentos que um chefe de família não concorda, chega a esse ponto, uma depravação total. Não se respeita nem sala de aula mais.”

A declaração repercutiu na internet:

Menos dinheiro para o combate a violência contra a mulher 2 filmes para você ver no cinema e um já disponível na Netflix!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.