Comecemos pelo fato de que tudo já estava previsto. Pelo Simpsons, pelo menos. No episódio When You Dish Upon a Star, o quinto da décima temporada da série, exibido em 1998, vimos um cartaz na entrada do estúdio 20th Century Fox onde está escrito “uma divisão da Walt Disney Co.”. Pois é, os Simpsons visionários já previram o vencedor do Prêmio Nobel de Economia de 2016, a da eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos e até a final do Super Bowl de 2014, na qual Denver Broncos e Seattle Seahawks se enfrentaram.

Agora, a família Simpson, que já deu suas zoadas no império do rato mais famoso do mundo, assim como o desenho Family Guy, os heróis de X-Men, Quarteto Fantástico, a saga Avatar, as séries da FX e National Geographic e o anti-herói Deadpool. Aliás, o intérprete desse controverso herói fez uma ótima brincadeira com a aquisição. Vejam só o que postou Ryan Reynolds:

(Matterhorn é uma atração famosa do conglomerado de parques Disney, uma montanha russe em volta de uma montanha de gelo)

Agora vamos aos fatos. A Disney agora é dona de parte da 21st Century Fox. Pagou US$ 52,4 bilhões, e agora engrossa seu caldo para lançar em 2019 sua própria plataforma de streaming. Vocês bem se lembram que o conteúdo Disney tem data pra sair na Netflix? Pois é… Podem ficar espertas a Netflix e a Amazon, porque com essa compra a Disney também finca um pezinho no Hulu, que tem em seu catálogo a aclamada e premiada série The Handmaid´s Tale, entre outras produções.

A Disney também será dona da Fox Searchlight, estúdio independente que distribuiu filmes poderosos como O Grande Hotel Budapeste , Garota Exemplar e um dos filmes mais comentados nessa temporada de premiação, A Forma da Água,

Neste negócio nem tudo são flores, a Disney também vai assumir cerca de US$ 13,7 bilhões em dívidas da Fox.

Outro ponto é a questão de adequar a venda para que a compra não represente monopólio no segmento, o que poderia impedir o fechamento do negócio. Algumas medidas devem ser tomadas para que o negócio passe em Washington, e já que o governo Trump já bloqueou, por exemplo, a aquisição da Time Warner pela AT&T, caso algumas das redes de TV da empresa a ser adquirida não fosse vendidas separadamente.

O que se sabe é que a Fox vai separar sua rede de canais televisivos e estações da Fox Broadcasting, Fox News Channel, Fox Business Network, FS1, FS2 e Big Ten Network em uma nova empresa. Rupert Murdoch, o todo poderoso do grupo, permaneceria no comandando do Fox News e dos canais norte americanos do Fox Sports, que garantiria não reforçar a potente Disney ali no mercado de esportes.

Mas temos outras questões também. Pensa aqui: nos cinemas,  os dois estúdios juntos teriam cerca de 39,2% das bilheterias. Disney ocupou o primeiro lugar em arrecadação entre os estúdios em 2016, com a Fox terminou em terceiro. Agora juntas temos uma força terrível, que terá como rival  principalmente a Warner, Universal e Paramount.

Pois então fiquem sabendo que a transação ainda precisa ser aprovada pelo Departamento de Justiça dos EUA, e isso pode demorar vários meses.

 

Cineminha? Star Wars, Star Wars e Star Wars ( mentira! Também tem o cara que inventou a Mulher Maravilha e Cora Coralina) Não teremos Bingo na disputa por um Oscar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.