O tapete vermelho foi completamente invadido por uma onda negra, cor vestida por todas as mulheres ( com exceção de duas injustificáveis) e homens que se dirigiram para uma edição história do Globo de Ouro. O movimento TIME IS UP estava por todos os cantos, em bottons, pins discursos e acompanhantes. As principais atrizes que encabeçam o manifesto que pede pelo fim do assédio nos ambientes de trabalho ( não só em Hollywood) e igualdade de gênero foram acompanhadas de ativistas.

Algumas como Meryl Streep, que foi com Ai-Jen Poo, que defende os direitos das trabalhadoras domésticas. Emma Watson chegou com Marai Larasi, diretora executiva da Imkaan, uma rede britânica de organizações que luta contra a violência contra mulheres negras e minorias e Michelle Williams compareceu ao lado de Tarana Burke, fundadora do movimento #MeToo e diretora da organização sem fins lucrativos Garotas pela Equidade de Gênero.

Agora, o discurso esteve vivo e realmente emocionante na boca de Oprah Winfrey, que recebeu neste domingo o prêmio pelo conjunto da obra, o troféu Cecil B. DeMille. A apresentadora falou de racismo, de assédio sexual, impunidade e da esperança que aquele dia fosse um marco para que as coisas mudassem de vez.

Oprah foi a primeira mulher negra a ganhar este prêmio oferecido pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood:

“Então, eu quero que todas as garotas assistindo aqui, agora, que saibam que um novo dia está no horizonte. E que quando este novo dia finalmente chegar, será por causa de muitas mulheres magníficas, (…) e algum homens fenomenais, lutando duro para ter certeza de que elas se tornem as líderes que nos levem a um tempo em que ninguém jamais tenha de dizer ‘Eu também’ novamente.”

No pico de emoção, Oprah lembrou a história de Recy Taylor, mulher negra que morreu agora, em 28 de dezembro, aos 97 anos, sem nunca ver condenados os seis homens brancos que em 1944 a sequestraram e estupraram quando voltava da igreja, em uma cidade no Alabama.

A abertura da premiação, apresentada por Seth Meyers foi das mais dedo na ferida de ultimamente. Seth falou claro de Trump, mas também levantou todas as questões relativas ao assédio, inclusive dando nome aos bois: Harvey Weisntein, Kevin Spacey e Woody Allen.

Para o apresentador, Weisntein retornará à premiação em vinte anos, no segmento In Memoriam ( que homenageia as personalidades falecidas naquele ano) e seria vaiado.  Kevin Spacey também não escapou, e o apresentador perguntou se Christopher Plummer (que o substituiu Spacey no filme Todo dinheiro do Mundo) poderia refilmar House of Cards.

 

Meyers ainda teve tempo de disparar contra Woody Allen. Quando comentou o enredo de A Forma na Água disse:

“Eu tenho que admitir que quando eu ouvi dizer que o filme era sobre um jovem garota ingênua que se apaixona por um monstro, pensei: não, mais um filme de Woody Allen? Isto é como Manhattan embaixo da água.”

 

CINEMA

Melhor filme (drama)
“Dunkirk”
“A Forma da Água”
“Me Chame pelo Seu Nome”
“The Post”
“Três Anúncios para um Crime” – VENCEU

Melhor ator (drama)
Daniel Day-Lewis (“Trama Fantasma”)
Denzel Washington (“Roman J. Israel, Esq.”)
Gary Oldman (“O Destino de uma Nação”) – VENCEU
Timothée Chalamet (“Me Chame pelo Seu Nome”)
Tom Hanks (“The Post”)

Melhor atriz (drama)
Frances McDormand (“Três Anúncios para um Crime”) -VENCEU
Jessica Chainstain (“A Grande Jogada”)
Meryl Streep (“The Post”)
Michelle Williams (“All the Money in the World”)
Sally Hawkins (“Á Forma da Água”)

Melhor filme (comédia)
“Corra!”
“Lady Bird” – VENCEU
“Eu, Tonya”
“O Rei do Show”
“O Artista do Desastre”

Melhor ator (comédia)
Ansel Elgort (“Em Ritmo de Fuga”)
Daniel Kaluuya (“Corra!”)
Hugh Jackman (“O Rei do Show”)
James Franco (“O Artista do Desastre”) – VENCEU
Steve Carell (“A Batalha dos Sexos”)

Melhor atriz (comédia)
Helen Mirren (“The Leisure Seeker”)
Saoirse Ronan (“Lady Bird”) – VENCEU
Margot Robbie (“Eu, Tonya”)
Emma Stone (“A Batalha dos Sexos”)
Judi Dench (“Victoria e Abdul”)

Melhor diretor
Christopher Nolan (“Dunkirk”)
Guillermo del Toro (“A Forma da Água”) – VENCEU
Martin McDonagh (“Três Anúncios para um Crime”)
Ridley Scott (“All the Money in the World”)
Steven Spielberg (“The Post”)

Melhor roteiro
“A Forma da Água”
“A Grande Jogada”
“Lady Bird”
“The Post”
“Três Anúncios para um Crime” – VENCEU

Melhor ator coadjuvante
Armie Hammer (“Me Chame pelo Seu Nome”)
Christopher Plummer (“All the Money in the World”)
Richard Jenkins (“A Forma da Água”)
Sam Rockwell (“Três Anúncios para um Crime”) – VENCEU
Willem Dafoe (“Projeto Flórida”)

Melhor atriz coadjuvante
Allison Janney (“Eu, Tonya”) – VENCEU
Mary J Blige (“Mudbound”)
Hong Chau (“Pequena Grande Vida”)
Laurie Metcalf (“Lady Bird”)
Octavia Spencer (“A Forma da Água”)

Melhor filme estrangeiro
“Uma Mulher Fantástica”, de Sebastián Lelio (Chile)
“First They Killed My Father”, de Angelina Jolie (Camboja)
“Em Pedaços”, de Fatih Akin (Alemanha) – VENCEU
“Loveless”, de Andrey Zvyagintsev (Rússia)
“The Square”, de Ruben Ostlund (Suécia)

Melhor animação
“Com Amor, Van Gogh”
“O Poderoso Chefinho”
“Viva: A Vida É uma Festa” – VENCEU
“The Breadwinner”
“Touro Ferdinando”

Melhor trilha sonora
“A Forma da Água” – VENCEU
“Dunkirk”
“The Post”
“Trama Fantasma”
“Três Anúncios para um Crime”

Melhor canção
“Home” (“Touro Ferdinando”)
“Mighty River” (“Mudbound”)
“Remember Me” (“Viva: A Vida É uma Festa”)
“The Star” (“A Estrela de Belém”)
“This Is Me” (“O Rei do Show”) – VENCEU

TELEVISÃO

 

Melhor série (drama)
“Game of Thrones”
“Stranger Things”
“The Crown”
“The Handmaid’s Tale” – VENCEU
“This is Us”

Melhor ator (drama)
Jason Bateman (“Ozark”)
Sterling K. Brown (“This Is Us”) – VENCEU
Freddie Highmore (“The Good Doctor”)
Bob Odenkirk (“Better Call Saul”)
Liev Schreiber (“Ray Donovan”)

Melhor atriz (drama)
Caitriona Balfe (“Outlander”)
Claire Fox (“The Crown”)
Elisabeth Moss (“The Handmaid’s Tale”) – VENCEU
Katherine Langford (“13 Reasons Why”)
Maggie Gyllenahall (“The Deuce”)

Melhor série (comédia)
“Black-ish”
“The Marvelous Mrs. Maisel” – VENCEU
“Master of None”
“SMILF”
“Will & Grace”

Melhor ator (comédia)
Anthony Anderson (“Black-ish”)
Aziz Ansari (“Master of None”) – VENCEU
Kevin Bacon (“I Love Dick”)
William H. Macy (“Shameless”)
Erik McCormack (“Will & Grace”)

Melhor atriz (comédia)
Pamela Adlon (“Better Things”)
Alison Brie (“Glow”)
Rachel Brosnahan (“The Marvelous Mrs. Maisel”) – VENCEU
Issa Rae (“Insecure”)
Frankie Shaw (“SMILF”)

Melhor minissérie ou telefilme
“Big Little Lies” – VENCEU
“Fargo”
“Feud: Bette and Joan”
“The Sinner”
“Top of the Lake: China Girl”

Melhor ator em minissérie ou telefilme
Robert De Niro (“The Wizard of Lies”)
Jude Law (“O Jovem Papa”)
Kyle MacLachlan (“Twin Peaks”)
Ewan McGregor (“Fargo”) – VENCEU
Geoffrey Rush (“Genius”)

Melhor atriz em minissérie ou telefilme
Jessica Biel (“The Sinner”)
Nicole Kidman (“Big Little Lies”) – VENCEU
Jessica Lange (“Feud: Bette and Joan”)
Susan Sarandon (“Feud: Bette and Joan”)
Reese Witherspoon (“Big Little Lies”)

Melhor ator coadjuvante
Alfred Molina (“Feud: Bette and Joan”)
Alexander Skarsgard (“Big Little Lies”) – VENCEU
David Thewlis (“Fargo”)
David Harbour (“Stranger Things”)
Christian Slater (“Mr. Robot”)

Melhor atriz coadjuvante
Laura Dern (“Big Little Lies”) – VENCEU
Ann Dowd (“The Handmaid’s Tale”)
Chrissy Metz (“This Is Us”)
Michelle Pfeiffer (“The Wizard of Lies”)
Shailene Woodley (“Big Little Lies”)

A primeira música do novo trabalho de Justin Timberlake é... Lana X Radiohead: Get Free é plágio de Creep?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.