Saiu! Que dia, meus queridos.  O segundo álbum da xxxovem e incrível neozelandesa Lorde. Abrindo com a energética e pop Green Light , melodrama corresponde as expectativas de fãs e da crítica com espaço para essa nova happy Lorde, em Homemade Dynamite, por exemplo.

Mas sem se esquecer daquele lance verdadeiro e emocional que a cantora transcreve as emoções da sua geração > vai lá ouvir Writer in The Dark ou Liability.

Assim como no álbum anterior, Pure Heroíne (2013), Lorde flerta com hip hop, mas hoje madura conta com orquestrações e se arrisca variando os vocais. Que xooovem, meus senhores <3 Eu? Adorei Supercut <3

Leonardo DiCaprio teve que devolver um Oscar A Paradinha de Anitta na Parada LGBT de SP e as outras musas da festa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.