Hoje é Dia Internacional da Mulher e data em que, não por acaso, sai a segunda temporada de Jessica Jones. Três anos depois da primeira temporada, e com tempo de ver outros heróis lançados pela parceria Marvel / Netflix, podemos constatar que Jessica é das melhores personagens, munida de super poderes e também super questões existenciais.

Forte fisicamente, Jones tem dificuldade em entender seu passado e encarar as responsabilidades de ser uma heroína ( ou justiceira?). Isso somado à ótima atuação de Krysten Ritter atribui à personagem o fator empatia. A gente se importa com Jessica, torce por ela. Durante a primeira temporada pudemos entender sua relação com a irmã de criação e melhor amiga Trish, que segue firme como parceira nesta segunda fase. Também temos a concretização de um assistente no escritório de investigação, o ex viciado e também vítima do vilão Killgrave, Malcolm.

Simpson, o super soldado da primeira temporada que teoricamente estava morto, volta. Koslov, IGH e as origens dos poderes de Jessica também serão investigados.

Killgrave não está mais no jogo, se é que vocês me entendem, mas a herança de ter de fato quebrado um pescocinho, mesmo que por uma boa causa, persegue Jéssica  por essa temporada, frustração descontada na bebida. Sexo? Talvez não. O novo inimigo demora a se mostrar, mas fica claro que faz parte do passado… Quem é a médica Leslie, a personagem de Janet McTeer? Ao mesmo tempo que na vida real, teremos o dono de uma nova agência de investigação, aparentemente incomodado com o trabalho de Jones. Nessa trama, também volta a advogada de ética questionável, Jeri. É através dela, que trabalha no mesmo escritório de Foogy ( Demolidor), e da enfermeira Claire que se mantém viva a ligação com o universo do segundo herói mais amado das adaptações Netflix, O Demolidor.

Na mistura, ainda um novo zelador no prédio do escritório/casa, cheio de questões a respeito da super heroína. Ódio que vira amor? Além das cenas de ação, muito suspense na investigação do passado dessa personagem que já aprendemos a amar. Pelo menos é isso que dá pra contar, sem spoilers, para você depois de assistir aos 5 primeiros episódios. Maratona? Vamos lá!

Se você ficou com saudades de Luke Cage, anime-se! A segunda temporada foi anunciada pela Netflix para 22 de junho.

Rycos! Jeff Bezos, Bill Gate e 42 brasileiros também Cineminha? Novo de Clint Eastwood, filme francês, Os Farofeiros e filme impulsionado publipost do Datena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.