PODCAST SOBRE A SÉRIE AQUI

Muitos são os casos em que artista que explodem nos charts, e depois pagam com suas próprias vidas pelo envolvimento com a violência e crime.

Unsolved: Os Assassinatos de Tupac e The Notorious B.I.G disponível na Netflix desde ontem, trata de duas das mortes mais sentidas do mundo do rap, Tupac Shakur e Christopher Wallace. Não esperem uma conclusão sobre os verdadeiros assassinos dos rappers, que até hoje não foram descobertos… Nem o motivo foi determinado ao certo. Os dez episódios explicam os mistérios do caso, começando pelos  anos 1990, quando Tupac e B.I.G. eram amigos, seguindo pelos desentendimentos e brigas envolvendo gangues, e a rivalidade que por um tempo dividiu o mundo do hip-hop.

Quem é fã dos caras pode se preparar para um show de caracterização. Marcc Rose é, ou melhor vive Tupac. Foi também ele quem interpretou o rapper no filme Straight Outta Compton: A História do N.W.A. (2015). Wavyy Jones é B.I.G.. As músicas mesmo você não vai ouvir, já que a produção não conseguiu licenciar as faixas.

Tupac morreu aos 25 anos em 13 de setembro de 1996, seis dias após ser baleado dentro de seu carro, em Las Vegas. ele estava saindo de uma luta de boxe de Mike Tyson vs Bruce Sheldon onde se envolveu em uma briga com um membro da gangue Crips. Já B.I.G. foi morto seis meses depois, em circunstâncias parecidas, em Los Angeles. Na série, a polícia entra no jogo a partir desse segundo assassinato, através da figura do investigador Russell Poole, interpretado por Jimmi Simpson (de Westworld).

As primeiras investidas para investigar a ligação dos fatos não dá certo, e só se volta ao assunto em 2006, quando a mãe de B.I.G. processa a polícia de LA que reabre as investigações com o detetive Greg Kading (Josh Duhamel). Importante nesse caso, pois a série é baseada no livro escrito por  Kading, Murder Rap (2011), que mostra como a polícia investigou e enxergou o caso.

A teoria da conspiração diz que B.I.G. teria encomendado a morte de Tupac e depois acabou assassinado como represália a mando da gravadora Death Row. Também tem aquela história de que Tupac teria forjado a própria morte e seguiria vivo.

Bond, Idris Elba Bond? I Say A Little Prayer for Aretha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.