Vai lá que já está disponível na Netflix a quarta temporada de Black Mirror. Ainda não sabe do que se trata?

Uma das coisas mais legais é que cada episódio fala por si, então você pode ver a quarta temporada sem ter visto nenhuma outra problema nenhum. Os temas sempre ficam em torno das reações humanas mediante a avanços tecnológicos. Black Mirror é série britânica, criada por Charlie Brooker. Em cada episódio você poderá acompanhar inseguranças, fantasias e situações trazidas por avanços tecnológicos. Os reflexos desses avanços sobre sociedade e os indivíduos é algo bem interessante de se acompanhar. O caminho da série não é investigar o que faz tecnologia, mas seu reflexo no ser humano e que claro pode levar o espectador para cantos bem sombrios. Mas tem episódios menos angustiantes também. Eles são independentes, tem pequenas referências de um ou outro episódio em algum mais a diante, mas nada impede que você possa assistir de forma desordenada ou a avulsa.

Senti essa temporada bem sombria…

USS Callister é uma homenagem a Star Trek, todo anos 1960 e com Jesse Plemons (Breaking Bad) e Cristin Milioti (How I met your mother) no elenco. O episódio vai na onda de analisar a possibilidade de uma consciência digitalizada.

Arkangel, dirigido por Jodie Foster. A história parte de uma mãe que instala um chip na cabeça da filha, e assim monitora a garota 24 horas por dia. Imaginem a repercussão disso a longo prazo, quando a menina fica mais velha.

Crocodile trata de um tema bastante recorrente na série, que é a possibilidade de se acessar a memória das pessoas. No caso, uma mulher bem sucedida, que foi cúmplice de um atropelamento que deu em morte, e que ao tentar ocultar o que aconteceu acaba se envolvendo em outro problemão… Suas atitudes podem ser reveladas quando uma funcionária de uma empresa de seguro precisa de suas lembranças para averiguar o que aconteceu em um acidente de trânsito.

Hang the DJ é aquele episódio meio Tinder, e também o mais leve de todos.  Metalhead é todo em preto e branco e dirigido por David Slade (A saga Crepúsculo: Eclipse. A trama se passa em um futuro distópico no qual a raça humana é caçada por robôs assassinos.

E finalmente um dos episódios mais impactantes, Black Museum, que para quem viu a terceira temporada vem com algumas referências de episódios anteriores da série. No mesmo episódio são contadas histórias diferentes, através de peças de um estranho museu do crime.

Entenda quais foram as acusações de assédio contra o diretor do Museu Afro Brasil, Emanoel Araujo Shakira e sua luta para recuperar as cordas vocais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.