Este foi o musical de abertura que deu start a mais uma edição do Globo de Ouro. E quem roubou o show? As crianças de Stranger Things fazendo um rap e a ressuscitação de Barb!  Ainda teve a melhor dupla que você respeita, Fallon e Timberlake em um quadro que apenas quem assistiu La La Land entendeu.

Com apresentação de Jimmy Fallon, a cerimônia de entrega no Globo de Ouro, aconteceu na noite deste domingo no Beverly Hilton Hotel, em Beverly Hills, na Califórnia.

Em cinema, La La Land, que estreia no Brasil dia 19 de janeiro,levou todos os setes prêmios aos quais estava indicado. Foi escolhido como melhor filme de comédia ou musical, faturou em direção e roteiro, premiando Damien Chazelle ( mesmo de Whiplash), rendeu prêmios aos protagonistas Emma Stone e Ryan Gosling e ainda emplacou nas categorias de canção e trilha sonora original. Sim, isso confirma o filme como favorito ao Oscar.

No segmento dramático, Moonlight: Sob a Luz do Luar, de Barry Jenkins, faturou como melhor filme dramático. O filme estreia no Brasil em 23 de fevereiro de 2017. Vencedor da categoria Melhor Elenco no Critics Choice, o filme é bastante curioso, porque é do cinema independente e quando de seu lançamento, em apenas quatro cinemas, fez mais de US$ 100 mil por sala, o que o colocou na posição de maior arrecadação por tela deste ano. Outra curiosidade: o filme recebeu 99% de aprovação crítica nos populares site Rotten Tomatoes e Metacritic, tendo a melhor avaliação entre os lançamentos deste ano. O drama é da produtora de Brad Pitt e narra três é períodos da vida de um jovem, desde a infância, cercada de  bullying, até sua formação e vida adulta, com aquela mistura de decepções familiares, violência, tráfico e ainda a descoberta de desejos homossexuais. Tudo isso ambientado em um bairro violento de Miami.

Nas categorias de atuação Casey Affleck venceu por sua participação em Manchester à Beira-Mar (estreia por aqui em 12 de janeiro) e a atriz francesa Isabelle Huppert levou o Globo de Ouro pelo filme Elle. A polêmica produção de Paul Verhoeven, que não tem chance no Oscar, mas  venceu o a premiação como melhor filme estrangeiro. O diretor holandês , mesmo de Instinto Selvagem (1992), e antes desse Robocop – O Policial do Futuro (1987)  é o responsável por este thriller de humor negro inspirado no livro Oh, do francês Philippe Djian. Parece que Verhoeven pensou em atrizes poderosas para o papel da protagonista, alguém como Nicole Kidman ou a própria Sharon Stone… Mas foi a ousada Isabelle Huppert (A Professora de Piano, de Michael Haneke) quem topou interpretar uma mulher que mantém uma relação dúbia com o seu estuprador. O projeto do filme, de temática tão complicada, não conseguiu seduzir produtores ou atrizes do cinema norte-americano… Foi considerado amoral.

Nos prêmios da televisão, a incrível The Crown, superprodução da Netflix venceu como melhor série dramática e também faturou a categoria de melhor atriz em serie de drama para Claire Foy. Esta foi a primeira vez que uma série original do canal de streaming levou o prêmio máximo do Globo de Ouro. A série bateu Game of thrones, Stranger things, This is us e Westworld.

Foi muito comemorada a vitória da série Atlanta e de seu criador, Donald Glover, que venceu como melhor ator em comédia        (você pode assistir em Fox Play).

A minissérie The Night Manager levou três categorias de atuação: melhor ator em minissérie para Tom Hiddleston, ator e atriz coadjuvante em minissérie para Hugh Laurie e Olivia ColmanThe People v. O. J. Simpson: American Crime Story, também faturou dois prêmios importantes: melhor minissérie ou filme para TV e ainda premiou Sarah Paulson como melhor atriz na categoria.

Entre os discursos, tivemos Viola Davis (vencedora da categoria de atriz coadjuvante pelo filme Cercas) e Emma Stone, falando de  superação. Tom Hiddleston ressaltando a importância da ajuda humanitária . E Meryl Streep, homenageada da noite com o Cecil B. DeMille Award, prêmio pelo conjunto da obra, emocionou e levantou questões importantes como a presença das muitas nacionalidades na cerimônia, pedindo tolerância, e ainda ressaltando a necessidade de se proteger e apoiar os jornalistas, para garantir a liberdade de imprensa. Sim, ela se referia a esta nova era Trump:

Meryl falou sobre a imprensa e os artistas estarem no mesmo balaio:

“Só lembrando o que o Hugh Laurie já disse. Vocês [Associação dos Correspondentes Estrangeiros de Hollywood] e todos nós nessa sala, realmente, pertencemos ao segmento mais difamado da sociedade estadunidense agora. Pensem. Hollywood, estrangeiros, e a imprensa. Mas quem somos nós? E, sabe, o que é a Hollywood mesmo? É só um monte de gente de outros lugares.

Eu nasci e foi criada nas escolas públicas de Nova Jersey. Viola [Davis] nasceu em uma cabana de agricultores na Carolina do Sul, e cresceu em Central Falls, Long Island. Sarah Paulson foi criada por uma mãe solteira no Brooklyn. Sarah Jessica Parker era uma de sete ou oito crianças de Ohio. Amy Adams nasceu na Itália. Natalie Portman nasceu em Jerusalém. Cadê o certificado de nascimento delas? E a maravilhosa Ruth Negga nasceu na Etiópia, foi criada em — não, na Irlanda, acredito eu. E ela está aqui sendo indicada por interpretar uma garota de uma cidade pequena da Virginia. Ryan Gosling, como todas as pessoas mais bacanas, é canadense. E Dev Patel nasceu no Quênia, foi criado em Londres e está aqui por interpretar um indiano criado na Tasmânia.

Hollywood está cheia de forasteiros e estrangeiros. Se você expulsá-los, não sobrará nada para assistir a não ser futebol americano e diversas artes marciais, que não são as Artes.”

Então, a atriz lembrou um incidente que envolveu o presidente Trump:

“Houve uma performance esse ano que me deixou atordoada. Não porque era boa. Não teve nada de bom nela. Mas porque foi efetiva e cumpriu com seu papel. Fez a sua audiência rir e mostrar os dentes. Foi o momento no qual uma pessoa que pedia para sentar na cadeira mais respeitada de nosso país imitou um repórter deficiente, alguém que era menos privilegiado com menos poder e com menos capacidade de responder à altura. E meio que quebrou meu coração quando eu a vi. Eu ainda não consigo tirá-la da minha cabeça porque não estava em um filme. Foi a vida real.

E esse instinto de humilhar, quando é feito por alguém em uma plataforma pública, por alguém poderoso, impacta negativamente na vida de todo mundo, porque ele dá permissão para que outras pessoas ajam igual. Desrespeito convida desrespeito. Violência incita violência. Quando as pessoas poderosas usam sua posição para intimidar alguém, todos nós perdemos.

E isso me traz à imprensa. Nós precisamos que a imprensa com princípios mantenha esse poder em conta, que ela denuncie os poderosos por cada um desses ultrajes. É por isso que nossos fundadores consagraram a imprensa e suas liberdades em nossa Constituição. Então eu apenas peço aos famosamente bem endinheirados da Hollywood Foreign Press e a todos de nossa comunidade a se juntarem a mim em apoio ao comitê de proteção aos jornalistas. Porque nós precisaremos deles para progredirmos. E eles precisarão de nós para falarem a verdade.”

Meryl falou também do privilégio de ser ator, e da responsabilidade que a profissão carrega, e fechou seu emocionante discurso com uma frase da falecida Carrie Fisher:

“Como a minha amiga, a querida falecida Princesa Leia, me disse uma vez, ‘pegue o seu coração partido e o transforme em arte’.”

Sobre moda, comentou Manu Carvalho:

Lista completa de vencedores:

Melhor filme dramático

Até o Último Homem
A Qualquer Custo
Lion
Manchester à Beira-Mar
Moonlight: Sob a Luz do Luar (VENCEDOR)

Melhor musical ou comédia

20th Century Women
Deadpool
Florence: Quem É Essa Mulher?
La La Land – Cantando Estações (VENCEDOR)
Sing Street

Melhor atriz em filme dramático

Amy Adams — A Chegada
Jessica Chastain — Miss Sloane
Isabelle Huppert — Elle (VENCEDOR)
Ruth Negga — Loving
Natalie Portman — Jackie

Melhor atriz em filme musical ou comédia

Annette Bening — 20th Century Women
Lily Collins — Rules Don’t Apply
Hailee Steinfeld — Quase 18
Emma Stone — La La Land – Cantando Estações (VENCEDORA)
Meryl Streep — Florence: Quem é Essa Mulher?


Melhor ator em filme dramático

Casey Affleck — Manchester à Beira-Mar (VENCEDOR)
Joel Edgerton — Loving
Andrew Garfield — Até o Último Homem
Viggo Mortensen — Capitão Fantástico
Denzel Washington — Cercas

Melhor ator coadjuvante

Mahershala Ali — Moonlight: Sob a Luz do Luar
Jeff Bridges — A Qualquer Custo
Simon Helberg — Florence: Quem É Essa Mulher?
Dev Patel — Lion
Aaron Taylor-Johnson — Animais Noturnos (VENCEDOR)

Melhor atriz coadjuvante

Viola Davis — Cercas (VENCEDORA)
Naomie Harris — Moonlight: Sob a Luz do Luar
Nicole Kidman — Lion
Octavia Spencer — Estrelas Além do Tempo
Michelle Williams — Manchester à Beira-Mar

Melhor diretor

Damien Chazelle — La La Land – Cantando Estações (VENCEDOR)
Tom Ford — Animais Noturnos
Mel Gibson — Até o Último Homem
Barry Jenkins — Moonlight: Sob a Luz do Luar
Kenneth Lonergan — Manchester à Beira-Mar

Melhor ator em filme cômico ou musical

Colin Farrell — A Lagosta
Ryan Gosling — La La Land (VENCEDOR)
Hugh Grant — Florence Foster Jenkins
Jonah Hill — Cães de Guerra
Ryan Reynolds — Deadpool

Melhor roteiro

La La Land – Cantando Estações (VENCEDOR)
Animais Noturnos
Moonlight: Sob a Luz do Luar
Manchester à Beira-Mar
Até o Último Homem

Melhor trilha sonora

Moonlight: Sob a Luz do Luar
La La Land (VENCEDOR)
A Chegada
Lion
Estrelas Além do Tempo

Melhor filme de animação

Kubo e as Cordas Mágicas
Moana: um Mar de Aventuras
Minha Vida de Abobrinha
Sing – Quem Canta Seus Males Espanta
Zootopia (VENCEDOR)

Melhor canção original

‘Can’t Stop the Feeling ‘– Trolls
‘City of Stars’ — La La Land – Cantando Estações (VENCEDOR)
‘Faith’ — Sing – Quem Canta Seus Males Espanta
‘Gold ‘– Gold
‘How Far I’ll Go’ — Moana : um Mar de Aventuras

Melhor filme em língua estrangeira

Divines
Elle (VENCEDOR)
Neruda
The Salesman
Toni Erdmann

Série dramática

The Crown (Netflix) (VENCEDORA)
Game Of Thrones (HBO)
Stranger Things (Netflix)
This Is Us (NBC)
Westworld (HBO)

Série cômica

Atlanta (FX) (VENCEDORA)
Black-ish (ABC)
Mozart in the Jungle (Amazon)
Transparent (Amazon)
Veep (HBO)

Minissérie ou telefilme

American Crime – Série (ABC)
The Dresser – Telefilme (BBC/Starz)
The Night Manager – Minissérie (BBC/AMC)
The Night Of – Minissérie (HBO)
The People v. O.J. Simpson: American Crime Story – Série (FX) (VENCEDORA)

Ator de série dramática

Rami Malek por Mr. Robot (USA)
Bob Odenkirk por Better Call Saul (AMC)
Matthew Reese por The Americans (FX)
Liev Schreiber por Ray Donovan (AMC)
Billy Bob Thornton por Goliath (Amazon) (VENCEDOR)

Ator de série cômica

Anthony Anderson por Black-ish (ABC)
Gael Garcia Bernal por Mozart in the Jungle (Amazon)
Donald Glover por Atlanta (FX) (VENCEDOR)
Nick Nolte por Graves (Epix)
Jeffrey Tambor por Transparent (Amazon)

Ator de minissérie ou telefilme

Riz Ahmed por The Night Of (HBO)
Bryan Cranston por All the Way – Telefilme (HBO)
John Turturro por The Night Of (HBO)
Tom Hiddleston por Night Manager (BBC/AMC) (VENCEDOR)
Courtney B. Vance por People v. O.J. Simpson (FX)

Ator coadjuvante em série, minissérie ou filme para TV

Sterling K. Brown por People v. O.J. Simpson (FX)
Hugh Laurie por Night Manager (BBC/AMC) (VENCEDOR)
John Lithgow por The Crown (Netflix)
Christian Slater por Mr. Robot (USA)
John Travolta por People v. O.J. Simpson (FX)

Atriz de série dramática

Caitriona Balfe por Outlander (Starz)
Claire Foy por The Crown (Netflix) (VENCEDOR)
Keri Russell por The Americans (FX)
Winona Ryder por Strange Things (Netflix)
Evan Rachel Wood por Westworld (HBO)

Atriz de série cômica

Rachel Bloom por Crazy Ex-Girlfriend (CW)
Julia Louis-Dreyfus por Veep (HBO)
Sarah Jessica Parker por Divorce (HBO)
Issa Rae por Insecure (HBO)
Gina Rodriguez por Jane the Virgin (CW)
Tracee Ellis Ross por Black-ish (ABC) (VENCEDORA)

Atriz de minissérie ou filme para TV

Felicity Huffman por American Crime (ABC)
Riley Keough por The Girlfriend Experience (Starz)
Sarah Paulson por People v. O.J. Simpson (FX) (VENCEDORA)
Charlotte Rampling por London Spy (BBC/BBC America)
Kerry Washington por Confirmation – Telefilme (HBO)

Atriz coadjuvante em série, minissérie ou filme para a TV

Olivia Colman por The Night Manager – Minissérie (BBC/AMC) (VENCEDORA)
Lena Headey por Game of Thrones – Série (HBO)
Chrissy Metz por This Is Us (NBC)
Mandy Moore por This Is Us (NBC)
Thandie Newton por Westworld (HBO)

Direto do Sofá no Radioatividade: 3 séries que talvez você não tenha visto, mas que valem a pena Porque o Brexit fez Jamie Oliver fechar seis de seus restaurantes na Inglaterra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.