E não é de hoje que esse movimento vem tomando corpo​. Na era dos super bloco, um dos maiores da cidade é o Acadêmicos do Baixo Augusta. Nesse domingo, ainda em pré-Carnaval, o bloco repetiu a façanha alcançada no ano passado: um milhão de pessoas cobrindo a  Consolação.

Tradicionalmente Wilson Simoninha puxou o enredo, este ano acompanhando de Maria Rita e Mariana Aydar. Defendendo temas políticos, neste décimo ano nas ruas o tema foi Que País É Esse?

Assim, diversos dos integrantes do bloco, muitos artista, marcaram posição contra o autoritarismo que reconhecem na figura do presidente Jair Bolsonaro (PSL). De cima do bloco, Aydar e Simoninha puxaram os coros de “ele não” e “ele nunca”.

Na multidão tinha homem de rosa e mulheres de azul, em referência à fala da ministra Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Alessandra Negrini, vestiu fantasia que fazia referência a diversidade sexual, com um moicano com as cores do arco-íris e estilo roqueira.

Um dos fundadores do bloco, Alê Youssef hoje é também secretário da Cultura de São Paulo da Administração Bruno Covas, que até até tinha prometida dar pinta no bloco, coisa que acabou não rolando.

O fechamento do bloco contou com Fafá de Belém, que cantou Vermelho, o hino nacional e mandou ver no “Não é não”.

Jussie Smollet fingiu ser atacado por insatisfação salarial Oscar: Quem ganhou o que

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.