Eis que no fim da semana passada, um vídeo de Olavo de Carvalho viralizou trazendo uma informação que até agora está causando polêmica na internet. Olavo conta que leu um artigo de um jornalista holandês Robin de Ruiter, que lhe parecia fazer sentido. Olavo diz que ainda iria investigar, mas que o conteúdo “parecia verdadeiro pelo contexto”. De acordo com a tese: 

“Os Beatles eram semianalfabetos em música. Mal sabiam tocar violão. Quem compôs as canções deles foi Theodor Adorno. Agora você sabe o efeito devastador da música dos Beatles? É tudo celebração do LSD, das drogas…”

Adorno, sociólogo e filósofo alemão, foi um dos  fundadores da Escola de Frankfurt, e morreu nove anos após o nascimento dos Beatles. Entre as defesas dos estudos dos filósofos de Frankfurt, a indústria cultural é vista como um sistema político e econômico que visa produzir bens de cultura (filmes, livros, música popular, programas de TV) como mercadorias e como estratégia de controle social. Para Adorno, os receptores das mensagens dos meios de comunicação seriam vítimas dessa indústria, tendo seu gosto padronizado e induzidos a consumir produtos de baixa qualidade.

No vídeo, Olavo de Carvalho também discorre sobre sua teoria a respeito da música a partir dos anos 60:

” Se você pega toda essa música droga, que se espalhou pelo mundo desde a época de 60. Tudo isso foi Escola de Frankfurt, gente. Woodstock foi escola de Frankfurt. LSD, escola de Frankfurt. Rock paulera, escola de Frankfurt. Tudo que veio na indústria da música de massas. Eles são a favor da indústria da música? Não eles falam horrores dela. E ao mesmo tempo trabalham pra ela. Que que é isso dai? Dialética negativa. Nós sabemos que isso é um horror, e por isso mesmo nós vamos fazer. “

 

O vídeo repercutiu não só por aqui, mas também no exterior. Nesta quarta, o The Guardian, jornal inglês, publicou um artigo bastante sarcástico em que refuta as afirmativas. Em A little help from my neo-Marxist philosopher: was Adorno the fifth Beatle? (uma ajudinha do meu filósofo neo-marxista: Adorno foi o quinto Beatle?) eles dizem:

“Espera um pouco! Então os Beatles consistiam em John, Paul, George, Ringo e Teddy? Sim. Ao menos é o que acredita o guru político do presidente brasileiro Jair Bolsonaro”

“Quem é o guru político de Bolsonaro? O filósofo autodidata Olavo Carvalho, praga dos esquerdistas como Adorno e autor de ‘O Imbecil Coletivo’ e ‘O Mínimo que Você Precisa Saber para Não Ser um Idiota”

O Guardian diz que Olavo se baseou em um meme que circula faz tempo na internet que diz que o alemão era autor de clássicos da banda e que o espólio de Adorno que teria vendido os direitos das músicas dos Beatles para Michael Jackson. ( de fato MJ comprou os direitos dos Beatles em 1985 em um leilão).

Em outro momento, o The Guardian mostra um trecho de uma entrevista de Adorno, com sua percepção sobre os Beatles, quando entrevistado pela revista Akzente em 1965 :

“O que pode ser dito contra os Beatles é que simplesmente que o que essas pessoas têm a oferecer é algo estúpido em termos de seu próprio conteúdo. Pode-se ver que os meios de expressão que são empregados e preservados aqui são, na realidade, nada mais do que técnicas tradicionais de forma limitada”

Cineminha? Muitas estreias nacionais e filmes novos de Juliette Binoche e Catherine Deneuve Donas de gráfica ganham ação que as obrigava a fazer convite de casamento gay

2 thoughts on “Olavo de Carvalho X Beatles, entenda”

  1. JOAO

    Gosto de algumas ideias do Olavo, mas acompanho Beatles a 50 anos e entendo mais disso do que ele, obviamente. A meu ver ele está buscando holofotes, ou ficando gagá, ou ambos.

  2. Rui Viana

    Imbecil. Assunto idiota de quem quer estar na mídia pois sabe que o assunto Beatles proporciona mídia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.